Voltar

Pesquisadores da Universidade Johns Hopkins e da UFPE iniciam trabalho sobre infecções

Objetivo é desenvolver tecnologias capazes de resolver problemas nas comunidades

Um grupo de pesquisadores do Centro para Bioengenharia, Inovação e Design da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, coordenados pelo professor Soumyadipta Acharya, está na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) a fim de realizar um trabalho de campo sobre antibióticos no Recife e em Vitória de Santo Antão. Eles apresentaram o projeto ontem (6) à tarde para o reitor Anísio Brasileiro, em conjunto com a coordenadora local da ação, a professora Sylvia Lemos Hinrichsen, do Departamento de Medicina Tropical da UFPE. O objetivo é desenvolver tecnologias capazes de resolver problemas nas comunidades.

Foto: Passarinho

Trabalho de campo em Pernambuco vai durar três semanas

O tema da pesquisa é infecção e serão considerados todos os aspectos, desde a prevenção, tratamento e recuperação, até os fatores sociais e psicológicos envolvidos. A temporada de três semanas vai incluir estudo epidemiológico e pesquisa sobre antibióticos em comunidades nos dois municípios. Descobrir as causas da resistência a antibióticos é uma prioridade da Organização Mundial da Saúde (OMS), pois os remédios podem estar embutidos na alimentação ou estar sendo prescritos em excesso para tratar de doenças comuns como gripes. Os pesquisadores vão selecionar a melhor proposta para desenvolver um protótipo.

A metodologia usada pela Universidade Johns Hopkins busca identificar problemas e trabalhar com ideias para buscar soluções, não importa quantos anos elas demorem a ficar prontas, conforme explica a professora. Os protótipos devem ter viabilidade e impacto social. “Vejo uma grande janela de oportunidade para a UFPE ao fazer parte disso”, afirma. No ano passado, já houve uma parceria entre as duas instituições para a realização do VectorWeb, sistema de vigilância epidemiológica em áreas infectadas por mosquitos, possibilitando o estudo e o monitoramento da densidade de vetores em tempo real.

“Eles trazem a ideia e desconstroem de acordo com a cultura do local”, diz a professora Sylvia Lemos Hinrichsen. “É outra forma de fazer ciência, completamente diferente.” A UFPE é a primeira instituição brasileira a trabalhar em parceria com o Centro para Bioengenharia, Inovação e Design, de acordo com ela. “Esperamos estar à altura do desafio”, afirmou o reitor Anísio Brasileiro após a apresentação. A vice-reitora Florisbela Campos vai acompanhar a visita ao Centro Acadêmico de Vitória (CAV). A diretora de Relações Internacionais, Leonor Alves Maia, destacou a importância da nova metodologia e o desafio de construir algo concreto para a comunidade.

Mais informações
Professora Sylvia Lemos Hinrichsen

sylviahinrichsen@hotmail.com

Data da última modificação: 07/08/2018, 16:55