Autoavaliação Autoavaliação

O Processo de Autoavaliação do PPErgo está estruturado em cinco fases: 1) Preparação; 2) Implementação; 3) Divulgação dos resultados; 4) Uso dos resultados; 5) Meta-avalição.

 

1) Preparação da Autoavaliação

O Colegiado do PPErgo designou a Comissão de Autoavaliação (CAA), composta por: 

  • 3 PROFESSORES PERMANENTES:

Profa. Dra. Ana Karina Pessoa da Silva Cabral (Presidente da Comissão)

Profa. Dra.Vilma Maria Villarouco Santos 

Prof. Dr. Raimundo Lopes Diniz

  • 1 DISCENTE: 

Carlos Eduardo Meira de Menezes

  • 1 EGRESSO: 

Patrícia Barbosa Acioli Novaes

  • 1 TÉCNICA ADMINISTRATIVA: 

Nycole de Carvalho Gomes Silva

 

Esta comissão realizou o planejamento dos pontos mais estratégicos da autoavaliação e elaborou o projeto de autoavaliação, contemplando objetivos, estratégias, método, cronograma, recursos, equipe e responsabilidades, formato de disseminação dos resultados e monitoramento do uso desses resultados.

O Plano de Autoavaliação foi apresentado, discutido e aprovado em Reunião do Colegiado do PPErgo, e será publicado na página do programa.

Como metas, o processo de autoavaliação do PPErgo tem foco:

  • na formação discente e produção intelectual;

  • no acompanhamento dos egressos;

  • no planejamento anual/semestral das atividades [envolvendo o colegiado do programa];

  • no uso do SIGAA da UFPE como meio de fluxo contínuo, contendo as atividades realizadas por docentes e discentes;

  • autocrítica por parte dos docentes em suas disciplinas;

  • no processo de defesas de qualificação e dissertação;

  • em seminários para a discussão ao final de cada semestre letivo;

  • na revisão e identificação dos pontos fortes e fracos do programa, oportunidades a serem aproveitadas e dificuldades a serem enfrentadas; 

  • na revisão constante de metas e objetivos estabelecidos de forma participativa em consonância com as indicações das propostas do programa e da área.

Percebe-se  que  com  estes  parâmetros  alocados  em  um  processo  sistemático  e  consciente por parte de todo corpo docente, discente e técnico, será possível uma definição das ações necessárias para alcançar os resultados pretendidos, sobretudo com a correta incorporação dos resultados à melhoria do programa quanto aos pontos fracos detectados e às principais ameaças à continuidade do programa.

Torna-­se  importante  também  envolver  as  instâncias  ligadas  diretamente  ao  processo  de avaliação institucional e ao ensino de pós graduação da Instituição, ou seja, a Comissão Permanente de Avaliação (CPA) e a Pró Reitoria de Pós Graduação (PRPG).

 

2) Implementação da Autoavaliação

O PPErgo se propõe a implementar a Autoavaliação por meio dos seguintes instrumentos:

2.1) Avaliação pelo discente:

2.1.1) Formulário de avaliação e autoavaliação de desempenho de componente curricular: identificação do componente, do docente, do semestre letivo e turma de ingresso; aspectos relacionados ao conteúdo ministrado e ao desempenho do docente; autoavaliação do discente: envolvimento e desempenho na disciplina.

2.1.2) Formulário de avaliação e autoavaliação das atividades, secretaria e infraestrutura do Programa: dados do respondente, avaliação de aspectos relacionados ao programa como estrutura pedagógica, infraestrutura, dentre outros. 

2.2) Avaliação pelo docente e técnicos administrativos:

2.2.1) Formulário de avaliação e autoavaliação de desempenho de componente curricular pelo docente: identificação do componente, do docente, do semestre letivo e turma de ingresso; aspectos relacionados ao conteúdo ministrado e ao desempenho do discente; autoavaliação do docente: envolvimento e desempenho na disciplina. 

2.2.2) Formulário de avaliação e autoavaliação das atividades, secretaria e infraestrutura do Programa pelos docentes e técnicos administrativos: algumas informações do respondente, avaliação de aspectos relacionados ao programa como estrutura pedagógica, infraestrutura, dentre outros e autoavaliação. 

2.3) Avaliação pelo egresso: 

2.3.1) Formulário de avaliação do Programa e de autoavaliação pelo egresso e sua relação com o mercado: perfil do egresso -­ sexo, estado civil, faixa etária, faixa de renda, atividade profissional; aspectos relacionados à formação: turma de ingresso e conclusão no Programa, linha de pesquisa, se foi bolsista, formas de participação no curso (grupos de pesquisa, projetos, representação, estágio, grau de satisfação do programa no que se refere aos aspectos pedagógicos e infraestruturais; aspectos relacionados à vida profissional e sua relação com a produção no programa. 

2.4) Avaliação do Programa pela CAA: 

Complementarmente aos instrumentos de avaliação/autoavaliação por cada envolvido com o Programa (Discente, Egresso, Técnico e Docente), a Comissão aplicará anualmente um instrumento de verificação com os seguintes pontos norteadores:

2.4.1) Adequação e coerência da área de concentração, linhas de pesquisa, projetos de    pesquisa e estrutura curricular;

2.4.2) Avaliação de disciplinas e participação dos docentes em disciplinas;

2.4.3) Instalações físicas e infraestrutura do Programa;

2.4.4) Número de alunos matriculados e formados;

2.4.5) Número de Docentes Permanentes (DP);

2.4.6) Docentes Permanentes com orientação em andamento e com orientação concluída no período;

2.4.7) Capacidade de captação de financiamento: número de projetos solicitados e aprovados (links comprobatórios nesses casos) por agências de fomento nacionais e internacionais, na qualidade de coordenador, equipe proponente ou colaborador;

2.4.8) Produção  bibliográfica  e  citações  (artigos  em  revistas  Qualis  A-­-B,  livros e capítulos, tradução etc.), especialmente com discentes/egressos;

2.4.9) Produção técnica (patentes, produtos, entrevistas e comentários na mídia, trabalhos técnicos, cursos ministrados, entre outros), especialmente com discentes/egressos;

2.4.10) Qualidade, relevância e impacto das teses e dissertações;

2.4.11) Egressos e sua atuação;

2.4.12) Internacionalização do Programa (colaboradores estrangeiros, disciplinas e cursos em inglês), considerando seus discentes (p. ex., sanduíche) e docentes (p. ex., pós-doutorado  no  exterior, membro de corpo editorial de periódicos internacionais);

2.4.13) Inovação e empreendedorismo;

2.4.14) Inserção social: local, regional, nacional e internacional (pode incluir projetos de extensão, consultorias a agências de fomento, organizações de eventos, comissões, comitês, conselhos, redes, colaborações oficiais. 

Para a elaboração do diagnóstico de autoavaliação, a CAA usará as Tabelas 1 e 2 propostas pela CAPES (2019), em que serão registradas as etapas do processo de autoavaliação implementado e o diagnóstico da autoavaliação propriamente dito (ações e metas e suas fragilidades, pontos fortes, melhorias, ações imediatas e metas futuras). 

 

3) Divulgação dos Resultados da Autoavaliação

O Programa deverá apresentar na Plataforma Sucupira, por meio de preenchimento no campo específico deste item, as seguintes informações para o atendimento aos subitens/critérios: 1) Proposta de Autoavaliação; 2) Explicitação dos 05 subitens/critérios.

Os dados quantitativos para avaliação deste item serão fornecidos pela Plataforma Sucupira.

Após a aprovação do relatório final de avaliação anual pelo Colegiado do Programa e a apreciação da Pró Reitoria de Pós Graduação e da Comissão Permanente de Avaliação da UFPE, os resultados da autoavaliação serão divulgados das seguintes formas:

3.1) sistema da UFPE (SIGAA);

3.2) website oficial do PPERGO;

3.3) redes sociais (Instagram oficial do PPERGO, grupos específicos de aplicativos de mensagens, como o Whatsapp, formados por Docentes, Discentes e egressos);

3.4) boletim informativo endereçado eletronicamente aos Docentes, Discentes e Egressos;

3.5) seminário de autoavaliação e acompanhamento, contendo apresentação e discussão dos principais resultados em mesas redondas.

 

4) Uso dos Resultados da Autoavaliação 

Após a divulgação e discussão dos resultados da autoavaliação, principalmente considerando a realização do seminário anual de autoavaliação do Programa, seguindo o cronograma do processo de avaliação da CAPES (incluindo o documento de área e a ficha de avaliação vigente), a comissão de autoavaliação deverá pontuar em um relatório as principais oportunidades de aproveitamento e, principalmente, as dificuldades enfrentadas pelo Programa, destacando possibilidades de implementação de melhorias (adequações, adaptações e novas inserções), a nível de recomendações, dentro de um planejamento estratégico pautado em um cronograma de execução. O referido relatório deverá ser apreciado em reunião colegiada e encaminhado à Pró Reitoria de Pós Graduação e à Comissão Permanente de Avaliação da UFPE para as demais providências necessárias. O monitoramento quanto ao andamento das implementações de melhoria deverá acontecer anualmente, ao longo do seminário de autoavaliação e acompanhamento do PPERGO, além da divulgação do que vem sendo implementado em toda a rede de informação do Programa (SIGAA, website oficial, redes sociais, boletim informativo etc.).

 

5) Meta-avaliação

O  processo  de  Meta-avaliação  do  programa  será  considerado  pauta  do  seminário  de autoavaliação e acompanhamento do PPErgo, sendo discutido o andamento do processo de autoavaliação em vigor (no geral, a elaboração, a aplicação, os resultados encontrados, a implementação e o monitoramento de melhorias) e eventuais mudanças para o seu aperfeiçoamento. Deverá ser composto por um corpo de avaliadores externos, formado por docentes de Programas de Pós-­Graduação da UFPE, um membro da Comissão Permanente de  Avaliação  da  UFPE  e  por  pesquisadores  de  Programas  de  Pós-­Graduação  da  área Arquitetura,  Urbanismo  e  Design  no  país,  convidados  para  auxiliar  no  processo  de  Meta-­avaliação, na condição de avaliadores externos Ad-­hoc.

Atualmente, o Programa está na fase de implementação da autoavaliação.

 

O Processo de Autoavaliação do Programa de Pós-graduação em Ergonomia (PPErgo) tem por objetivos e metas:

  • Organizar as fases da auto avaliação (preparação, implementação, divulgação, uso dos resultados e meta-avaliação);

  • Identificar os pontos fortes e fracos do programa, oportunidades a serem aproveitadas e dificuldades a serem enfrentadas;

  • Elaborar metas e objetivos estabelecidos de forma participativa em consonância com as indicações das propostas do programa e da área;

  • Incorporar os resultados à melhoria do programa especialmente quanto aos pontos fracos detectados.

 

Os Recursos para a condução de todo o processo de autoavaliação do programa, estão dispostos da seguinte forma: 

RECURSOS HUMANOS - composto pelos membros da CAA, da Coordenação do Curso, e com outros profissionais, a exemplo de avaliadores externos, palestrantes convidados, dentre outros; 

RECURSOS FINANCEIROS - relativo às despesas com aquisição de materiais, pagamento de pró­-labore para palestrantes, reprodução de relatórios, de divulgação, dentre outros; 

RECURSOS INFRAESTRUTURAIS - onde serão utilizados os ambientes e equipamentos do Programa.

O detalhamento destes itens será realizado de acordo com o planejamento operacional no decorrer do ano, considerando que no PPERGO, o Processo de Autoavaliação está na fase 2 - de implementação. 

O plano de autoavaliação (PAA) do PPErgo está baseado nos itens constantes do Anexo  2  do  Documento  de  autoavaliação  de  Programas  de  Pós-Graduação  (CAPES,  2019). Em termos gerais, a implementação e condução do processo de autoavaliação do PPERGO está sendo conduzida pela comissão de autoavaliação (CAA) em parceria com a Coordenação do Programa.

Enfatiza­-se que o processo de autoavaliação do PPErgo, seguindo as diretrizes pontuadas no seu projeto, deverá ser aplicado, testado e validado no quadriênio 2021-2024, e em seguida,  com  os  devidos  ajustes,  será  continuamente aprimorado.  Justifica­-se  tal  fato  em razão de que em 2020, por conta da Pandemia, não foi possível a abertura do processo seletivo para formação de uma nova turma. Desta forma, ao longo desse período não foram realizadas determinadas atividades do programa que devem constar como elementos a serem avaliados pelo PAA como, por exemplo, a realização de aulas e o cumprimento de créditos em disciplinas ofertadas.

O Plano de Autoavaliação do PPErgo está organizado em 2 etapas:

ETAPA 1: POLÍTICA E PROPOSTAS

1) Criação de comissão de auto avaliação (CAA) pela Coordenação e Colegiado do Programa, aprovada em reunião em 2020;

2) Elaboração de pré-­proposta de plano de autoavaliação (PAA), realizado pela CAA em Janeiro e Fevereiro de 2021;

3) Aprovação do PAA pelo Colegiado do Programa em Março de 2021.

4) Divulgação do PAA pela CAA e Coordenação do Programa em sites e redes sociais do Programa semestralmente. 

ETAPA 2: APLICAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS E INSTRUMENTOS

1) Divulgação dos instrumentos de avaliação/autoavaliação pela CAA e coordenação do Programa, em website, redes sociais do Programa, e-mail e SIGAA, semestralmente.

2) Elaboração de Boletins eletrônicos informativos do processo de AA do PPErgo endereçados aos docentes, discentes, egressos, técnicos e comunidade acadêmica em geral, em website, redes sociais do Programa, e-mail e SIGAA, anualmente. 

3) Aplicação dos Instrumentos pela CAA, em website, redes sociais do Programa, e-mail e SIGAA, semestralmente.

4) Preenchimento do instrumento de verificação do Programa pela CAA, usando tabelas do EXCEL, semestralmente.

5) Tabulação dos dados obtidos através do instrumentos, pela CAA usando os Gráficos do Google Forms, semestralmente.

6) Tabulação dos dados obtidos pelo Instrumento de verificação do Programa pelo CAA usando tabelas do EXCEL, semestralmente.

7) Elaboração do relatório anual (avaliação e proposição de ações pela CAA , usando softwares de edição de texto e dados estatísticos, anualmente. 

8) Organização do 1º Seminário de AA e acompanhamento do PPErgo (discussão dos principais resultados em mesas redondas) pela  CAA e Coordenação do Programa por meio de evento virtual, anualmente. 

9) Realização de seminário pela CAA e Coordenação do Programa, por meio de evento virtual, anualmente. 

10) Avaliação do seminário pela CAA e participantes do evento através da  plataforma Google Forms, anualmente.

11) Elaboração do relatório de avaliação do evento pela CAA, usando softwares de edição de texto e dados estatísticos, anualmente. 

12) Submissão dos relatórios de AA para aprovação pelo Colegiado do Programa pela CAA e Colegiado do Curso em reunião de apresentação e disponibilização dos relatórios, anualmente. 

13) Apreciação dos relatórios de AA à PRPG e CPA UFPE pela CAA e Colegiado do Curso em reunião de apresentação e disponibilização dos relatórios, anualmente. 

14) Preenchimento das fichas a serem enviadas à Capes pela CAA e Colegiado do Curso na  Plataforma Sucupira, anualmente. 

15) Meta-avaliação ­- avaliação da sistemática de AA do PPErgo pelo corpo de avaliadores externos, formado por docentes de Programas de Pós-Graduação da UFPE, um membro da Comissão Permanente de Avaliação da UFPE e por pesquisadores de Programas de Pós-Graduação da área Arquitetura, Urbanismo e Design no país por meio de reuniões por plataformas digitais, anualmente.

16) Planejamento das ações de auto avaliação para o ano subsequente pela CAA por meio de reuniões, anualmente. 

 

Ressalta-se, que estamos na fase 2 - de implementação da política de Autoavaliação do PPErgo.