O PROF-CIAMB O PROF-CIAMB

O Programa de Mestrado Profissional em Rede Nacional de Ensino das Ciências Ambientais para Professores de Ensino Básico (PROF-CIAMB) se destaca por ser uma ação voltada à formação professores que atuam no ensino fundamental, médio e na educação de jovens e adultos. Visa o aprimoramento das atividades dos referidos professores na educação de cidadãos sensíveis ao seu papel no contexto socioambiental. Este programa conta com a participação de 9 instituições de ensino superior, sendo coordenado pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo.

Assim, o programa tem como proposta a temática ambiental sob a perspectiva do desenvolvimento sustentável associada a diferentes ferramentas didático-pedagógicas voltadas, essencialmente, ao sistema de ensino básico. Neste sentido, o foco dos projetos são os processos educativos e a produção de estratégias metodológicas que utilizem diferentes recursos didáticos pedagógicos, a exemplo dos projetos de pesquisa em ensino, de estudos do meio ambiente, de uso de mídia eletrônica, recursos tecnológicos ou computacionais, dentre outros. Com isto, o programa pretende fomentar desenvolvimento de instrumental que possibilite ao professor da rede básica de ensino inserir em suas práticas pedagógicas de sala de aula motivação, informação, experimentação, demonstrações e produção de conhecimentos no campo das ciências ambientais.


Atenção especial será dada também a outros desafios do processo de ensino e aprendizagem em ciências ambientais na educação básica, como o diálogo da escola com outros atores (stakeholders), fundamentais no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes da educação básica. Ou seja, as famílias dos estudantes, a comunidade do bairro, empresas, governo nos seus diferentes âmbitos, formuladores de políticas e tomadores de decisão, incluirão o público de abrangência dos estudos formulados por docentes e discentes deste PROF-CIAMB.

Desde os primeiros eventos sobre meio ambiente, a partir de 1972, a educação foi questão central para a promoção da proteção ambiental e para a gestão dos esforços para reduzir impactos das atividades sociais e econômicas no ambiente. Marcos históricos da evolução da preocupação com questões ambientais, como a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente em Estocolmo (1972), a de Tbilisi (1977), a RIO-92 (1992) e a RIO+20 (2012), que ratificaram esta centralidade da educação. Também é plenamente contemplada na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira, que em seu artigo 32 coloca como um dos objetivos da educação básica a formação cidadã que compreenda a importância do ambiente natural e a relevância dos impactos dos sistemas sociais sobre este. Neste sentido, esforços vêm sendo colocados na educação para construir sociedades com padrões de consumo e produção que respeitem os limites de capacidade do meio ambiente e promovam oportunidades para as gerações presentes e futuras.

Este contexto ganha maior importância no cenário brasileiro, que goza de grande diversidade e riqueza natural e cultural, bases para um desenvolvimento sustentável. Desta forma, a integração dos princípios, valores e práticas do desenvolvimento sustentável em todos os aspectos da educação e da aprendizagem favorece processos de políticas públicas e ações mais alinhadas à sustentabilidade.

O ensino das questões socioambientais no Brasil, sob prisma da interdisciplinaridade elucidada nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), enfrenta vários desafios, seja pela falta de infraestrutura adequada nas escolas, como pela necessidade de profissionais qualificados que primem pela inserção dos problemas socioambientais que permeiam o cotidiano dos alunos.

Os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) reforçam a questão ambiental como o conjunto de temáticas relativas não só a proteção da vida no planeta, mas também à melhoria do ambiente e da qualidade de vida das comunidades. Nesse viés, a escola tem um papel fundamental de estimular a cidadania ambiental do aluno. Todavia, considerando-se a formação profissional, os professores se deparam com uma série de desafios e situações que lhes impossibilitam contemplar determinadas temáticas em sala de aula comumente vivenciadas pelos alunos, a exemplo das questões socioambientais. Na sociedade moderna tais conhecimentos são fundamentais para que os professores consigam melhorar sua práxis pedagógica na perspectiva de formar cidadãos críticos.