Navegação Navegação

Voltar

Pesquisa recruta adolescentes com diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 1

A iniciativa tem orientação da professora Renata Toscano

Pesquisa desenvolvida pelo mestrando em Psicologia Cognitiva na UFPE Leandro Bezerra, intitulada “Funções Executivas em Adolescentes com Diabetes Mellitus Tipo 1”, está precisando de adolescentes (13 a 16 anos) com diagnóstico de Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1) para participar voluntariamente do estudo. A iniciativa, que tem orientação da professora Renata Toscano, tem como objetivo investigar Funções Executivas desse grupo de pessoas. Para participar, é necessário falar com o pesquisador pelos contatos abaixo relacionados.

Segundo o pós-graduando, devido à pandemia e por medidas de segurança e isolamento social, foram realizadas algumas adequações na pesquisa, que anteriormente aconteceria em formato presencial, mas agora será virtual. “Por isso, poderão participar voluntários de todo o Brasil e o processo avaliativo será feito através de jogos e questionários on-line, os quais serão acessados por meio de links enviados pelo pesquisador responsável”, explica.

Mas o que são Funções Executivas?
As Funções Executivas (FE) são consideradas um conjunto de habilidades cognitivas que permitem a regulação de pensamentos e ações, orientando o comportamento a um objetivo. Elas são estruturadas em três habilidades básicas: o controle inibitório, a memória de trabalho e a flexibilidade cognitiva. A partir da interação entre estas habilidades, outras FEs surgiriam, como o planejamento, a tomada de decisão, a resolução de problema e o raciocínio.

E qual a relação das Funções Executivas com o DM1?
Estas habilidades demonstram estar altamente relacionadas a comportamentos de saúde/autocuidado, sendo indispensáveis para o manejo clínico adequado de qualquer disfunção crônica. Nesse contexto, evidências de estudos sistemáticos demonstram que a variabilidade glicêmica, ocasionada pelo DM, está relacionada ao surgimento de disfunções cognitivas/executivas. Tal problema se torna mais prejudicial em crianças e adolescentes com DM1 por estarem em período crítico do desenvolvimento do Sistema Nervoso Central (SNC).

Estou no perfil e tenho interesse em participar da pesquisa, mas qual a importância dela?
Estudos dessa natureza são escassos na literatura, principalmente no Brasil, e podem auxiliar na compreensão de disfunções cognitivas/executivas associadas ao DM1 e orientar ações que minimizem os comprometimentos dessa condição endócrina.

Mais informações
Leandro Santos Bezerra
(87) 99949.3500 (WhatsApp) / (87) 3871.1601 (fixo)

leandro.sbezerra@ufpe.br

Data da última modificação: 31/07/2020, 16:33