Voltar

UFPE na Era Digital (II)

Publicado no Jornal do Commercio, no dia 20 de abril de 2019

Anísio Brasileiro e Décio Fonseca

Em artigo anterior publicado aqui no JC, vimos a necessidade da universidade responder aos desafios postos pela sociedade digital. No Brasil, a UFPE criou, em 2014, a Pró-Reitoria de Comunicação, Informação e Tecnologia da Informação (Procit). A Procit e a Assessoria de Comunicação (Ascom) vêm trabalhando de forma integrada com a gestão para responder ao desafio central de bem comunicar-se com os estudantes e a sociedade. Nesse sentido, a pró-reitoria vem desenvolvendo vídeos e peças promocionais em meio digital e impresso articulando competências em design, jornalismo e audiovisual. São campanhas visando fortalecer uma visão ética e cidadã, abordando temas como respeito à diversidade, acessibilidade, políticas de gênero, combate à violência contra a mulher e sustentabilidade.

Vale destacar ainda a intensa colaboração com o Núcleo de Televisão e Rádios Universitárias (NTVRU), com impacto na construção do projeto de fortalecimento da TV e das rádios, com destaque para o processo de migração da TV analógica para a digital. Faz parte ainda desse conjunto de conquistas a criação e manutenção do novo Portal da UFPE, além do uso de totens de informação nos centros acadêmicos integrados ao portal, e o desenvolvimento dos aplicativos UFPE Play e UFPE Mobile. Sem falar da implantação de políticas e normas em comunicação, informação e TI, definindo um marco regulatório.

Um ponto essencial de destaque sob a responsabilidade do professor Paulo Cunha foi a concepção e estruturação do Cinema UFPE, ligado à Procit, numa sala de exibição de filmes de alto padrão, com 197 lugares, projeção digital 4K, no Centro de Convenções da UFPE. A implantação desse equipamento cultural na UFPE considera a importância crescente da produção audiovisual brasileira, notadamente no Estado de Pernambuco, a participação crítica e estratégica da UFPE na formulação do campo audiovisual pernambucano e a necessidade de oferecer novas formas de formação cultural e artística à comunidade acadêmica e à sociedade em geral.

Diferenciada em todos os sentidos, especialmente por sua capacidade de gerar benefícios de curto, médio e longo prazo, mesmo funcionando com poucos recursos e enfrentando resistências culturais, a Procit é um marco de inovação que já inspira e ajuda outras instituições de ensino superior a buscarem um modelo de inserção no mundo digital. Uma inovação genuinamente pernambucana, inspirada no futuro, e que coloca a UFPE em lugar de destaque no campo da gestão universitária brasileira, por seu pioneirismo e compromisso com a inovação e inserção no mundo digital. 

Anísio Brasileiro é reitor da UFPE e Décio Fonseca é pró-reitor da Procit

Data da última modificação: 09/07/2019, 10:32