Voltar

UFPE, Campus Centro

Publicado no Jornal do Commercio no dia 12 de maio de 2018

Por Anísio Brasileiro e Ana Cristina Fernandes 

As cidades se constituem em espaços privilegiados da criação humana. É nas cidades onde florescem as artes, onde Leonardo da Vinci desponta como arquiteto, pintor, escritor, inventor. É nas cidades onde a concentração de pessoas com diferentes habilidades favorece a troca de conhecimentos que estimula o desenvolvimento de ideias e artefatos. No Brasil, esse processo ganha força com a criação, no Recife e em São Paulo, de suas faculdades de Direito. Nossa Faculdade afirma, com sua presença no coração do Recife, a emergência do espaço de conhecimento que se fortalece, ao longo do tempo, com as unidades de Engenharia, Farmácia, Medicina, Belas Artes, Enfermagem, Odontologia, Filosofia, Institutos de Antibióticos, Nutrição e Micologia, além do Núcleo de TV e Rádios. Em 1968, a Universidade do Recife se transforma em UFPE e é transferida para a Cidade Universitária,permanecendo no Centro apenas a Faculdade de Direito como unidade de ensino. 

Contudo, as áreas centrais das cidades continuam a abrigar transformações na estrutura produtiva e na vida cotidiana das pessoas, hoje sob influência da sociedade digital. Sendo importante ator dessas transformações, a Universidade se mobiliza para retornar ao Centro do Recife de forma planejada, como parte das propostas contidas em seu projeto UFPE Futuro. Mantendo as identidades das unidades que detém no Centro, nosso projeto prevê a integração destas a uma proposta acadêmica que aponta para o futuro: o Campus Centro de Criatividade e Inovação, dedicado à formação de pessoas e produção e difusão de ideias, conceitos, recursos e tecnologias orientados às indústrias criativas, em articulação com o Sistema Pernambucano de Inovação. 

O Campus Centro de Criatividade e Inovação está sendo pensado para ser implementado em parceria com organizações públicas e privadas já localizadas no Centro da cidade, com as quais pesquisadores e artistas da UFPE, do Recife e do mundo atuarão para formação inter e transdisciplinar de pessoas imaginativas, qualificadas e autodeterminadas, bem como para a construção de ambiente propício ao “burburinho” que incita novas ideias e artefatos para a indústria do audiovisual, música, artes visuais, design, jornalismo etc. Entre parceiros destacam-se a Fundação Joaquim Nabuco, o Porto Digital, a TV e rádios que, combinados com docentes e estudantes, constituirão terreno fértil,regado a cultura e criatividade pernambucanas. Para a UFPE, a perspectiva é que se desenvolva no Centro do Recife a formação de pessoas com métodos de ensino-aprendizagem inovadores e consistentes com as especificidades dos campos das artes e da mídia, projetos em parceria com organizações sociais atração de talentos em interação com experiências nacionais e internacionais. 

Anísio Brasileiro, reitor e Ana Cristina Fernandes, coordenadora do Projeto UFPE Futuro 

 

 

Data da última modificação: 24/09/2018, 14:08