Voltar

Gratidão

Publicado no Jornal do Commercio no dia 14 de setembro de 2019

Por Anísio Brasileiro

Um novo reitor e sua equipe assumirão, brevemente, a gestão da UFPE. É chegado para nós o momento de desejar sucesso aos que conduzirão os destinos de uma relevante instituição de ensino e pesquisa do Brasil e de agradecer o apoio que tivemos nestes oito anos de trabalho. Foi uma grande honra servir a essa instituição, a qual devo minha formação. Através de incansável trabalho de equipes, espero ter estado à altura da confiança que a sociedade deposita na Universidade pública. Agradeço ao JC por nos ter colocado à disposição da UFPE esse espaço. A UFPE é grandiosa. Mais de 40 mil estudantes estão matriculados, nos nossos três campi, em 109 cursos presenciais de graduação, 92 mestrados e 53 doutorados muito bem avaliados. Ao lado de 2.500 professores – grande parte deles com doutorado –, apoiados por 3.800 técnicos administrativos, temos 656 grupos de pesquisa e difundimos conhecimento através de mais de 300 projetos de extensão. São números que impressionam e demonstram que ninguém seria capaz de liderar a UFPE sem a colaboração solidária da comunidade acadêmica e da sociedade.

Nesses dois mandatos, a UFPE se transformou, com novos cursos e inovações pedagógicas, laboratórios de pesquisa e mais de uma centena de obras inauguradas. Avançamos nos mais importantes rankings. Ampliamos nossas parcerias estratégicas com empresas públicas e privadas. Colocamos em prática políticas de inovação e internacionalização através de projetos com as melhores universidades do mundo. Novos processos gerenciais foram implantados. A instituição dispõe de um novo Estatuto, inovador e flexível. O Hospital das Clínicas, com novo modelo de gestão, segue público e fiel aos princípios de qualidade da formação acadêmica, da pesquisa e do atendimento à população. Estamos muito melhores, mas uma universidade nunca está pronta. Reinventa-se a cada instante. Desde outubro 2011, quando assumimos, vários ministros estiveram à frente do MEC. Nos meses recentes, tempo vivenciado momentos de grande instabilidade, por conta de visões distorcidas do que efetivamente representam as universidades e do seu papel estratégico para projetos de desenvolvimento inclusivos e soberanos. Estamos e continuaremos atentos, porque é isso que o povo brasileiro espera de nós. E porque a nossa coragem se alicerça em valores indiscutíveis, como a produção do conhecimento, a valorização da ciência, a defesa da democracia, o respeito pela diversidade, a pregação da tolerância.

Anísio Brasileiro é reitor da UFPE

Data da última modificação: 16/09/2019, 15:52