Voltar

A Cidade do Conhecimento

Publicado no Jornal do Commercio, no dia 21 de abril de 2018

Por Anísio Brasileiro e Ana Cristina Fernandes

Em artigo anterior, apresentamos a proposta de renovação da universidade em vista das transformações na estrutura produtiva, nas ocupações e na vida cotidiana, associadas à chamada quarta revolução industrial, que chamamos Projeto UFPE Futuro. Essa proposta objetiva adequar a formação de nossos alunos, a pesquisa e a extensão aos desafios desse novo mundo, e implica intervenções de três naturezas distintas: reconfigurar as estruturas acadêmicas existentes,reformular seu uso e integrar antigas edificações no Centro do Recife, além de criar um campus completamente novo, em Goiana, com adoção de modelos de ensino aprendizagem inspirados na sociedade do aprendizado.

O atual Campus Joaquim Amazonas,no Recife, conta com um diversificado leque de unidades acadêmicas e laboratórios de pesquisa que atraíram para seu entorno, ao longo do tempo, instituições científicas e tecnológicas estaduais e federais que permitem hoje a visualização de uma Cidade do Conhecimento, nos moldes de proposta já formulada pela UFPE junto com parceiro local. Propõe-e nessa cidade a criação de um parque científico e tecnológico em saúde e um instituto interdisciplinar de estudos do desenvolvimento, abrigados no prédio da antiga Sudene, que pertence à UFPE. Essas novas unidades de pesquisa deverão aplicar estratégias inter, multi e transdisciplinares de produção de conhecimento e construir habilidades consistentes com os desafios da sociedade da aprendizagem.

O instituto e o parque científico e tecnológico terão escopo global, buscando atrair estudantes e pesquisadores talentosos do Brasil e de outros países, com base em visão crítica que leve à formação de líderes comprometidos com a justiça social e o progresso técnico de suas nações. A ideia central é, que sendo a âncora desta Cidade do Conhecimento, a UFPE mobilize líderes e governantes locais para a construção da sociedade do aprendizado em nosso Estado e para transformar toda a área em uma Zona Especial de Interesse em Conhecimento e Inovação no futuro Plano Diretor da Cidade do Recife. A Cidade do Conhecimento estimulará a comunidade acadêmica a construir espaços pedagógicos integrados de ensino, a introduzir a formação por resolução de problemas, métodos de avaliação progressiva e revisão das unidades curriculares, assim como a produção de conhecimento com forte articulação com o contexto local em que a universidade se insere e com estruturas e redes de pesquisa globais. Um senso de urgência está presente a todas as iniciativas. Não há tempo a perder.

Anísio Brasileiro é reitor da UFPE e Ana Cristina Fernandes, coordenadora do Projeto UFPE Futuro

 

 

Data da última modificação: 09/07/2019, 10:46