O DES O DES

O DES está localizado no campus da UFPE em Recife, no 4º pavimento do Prédio Escolar, ocupando uma área de 3.000 m² no Centro de Tecnologia e Geociências. Nessa área estão instalados os laboratórios didáticos, sala de seminários, laboratórios de pesquisa, salas de professores e de estudantes de pós-graduação, oficinas de apoio técnico, salas de apoio administrativo e um anfiteatro.

Atualmente o DES conta com vinte e sete professores, todos doutores de Dedicação Exclusiva.  Oito professores do DES são bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq. A maioria dos professores participa dos quatro principais grupos de pesquisa do DES credenciados pela UFPE e CNPq: Eletrônica, Engenharia de Sistemas, Fotônica e Comunicações. Estes grupos mantém laboratórios e atuam em ensino e pesquisa em várias áreas incluindo: comunicações móveis, comunicações ópticas, códigos corretores de erros, criptografia, teoria da informação, processamento de sinais, propagação de ondas eletromagnéticas, antenas, dispositivos de microondas, microeletrônica, nanomateriais, sensores eletrônicos, sensores ópticos, sensores biomédicos, intrumentação biomédica e eletrônica, dentre outras.

O DES responde pelo Curso de Graduação em Engenharia Eletrônica e contribui fortemente com os Cursos de Graduação em Engenharia Elétrica/Eletrotécnica, em Engenharia de Controle e Automação, em Engenharia Biomédica e em Engenharia de Computação da UFPE.

O DES participa fortemente do Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica (PPGEE) da UFPE, sendo o principal responsável por três das suas quatro áreas de concentração: Eletrônica, Fotônica e Comunicações, com a formação em nível de mestrado, desde 1979, e doutorado, desde 2000.

Histórico

O DES teve origem no antigo Departamento de Engenharia Elétrica (DEE), quando no final da década de 1940 a então Escola de Engenharia de Pernambuco introduziu em seus programas disciplinas da área de eletrotécnica. Em 1950 foi graduada a primeira turma de engenheiros eletricistas.

Em 1967 o acordo de Cooperação Técnica com o governo francês deu lugar à criação no DEE do Centro de Desenvolvimento de Eletrônica e Automática (CDEA) que representou uma etapa nova para a Engenharia Elétrica da UFPE, uma vez que possibilitou a fixação do pessoal de tempo integral na Universidade, permitindo com isso, o início das atividades de pesquisa e desenvolvimento no DEE.

De 1972 a 1976, foi possível consolidar o CDEA com o retorno dos primeiros professores do DEE com Doutorado concluído na França. Outros professores retornaram da COPPE (Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro -UFRJ), da PUC do Rio de Janeiro, da Escola Politécnica de Campina Grande e do INPE, com Mestrado concluído. O CDEA passou então a ser composto integralmente por pesquisadores brasileiros. O DEE contava então com 10 professores de tempo integral.

Em colaboração com o Departamento de Física e o apoio inicial do BNDE/TELEBRÁS e posteriormente da FINEP, o grupo de Eletrônica recebeu um forte apoio. A UFPE contratou então 7 professores visitantes, sendo 5 brasileiros, 4 dos quais haviam feito doutoramento na Inglaterra.

Em 1978 foi implementado no DEE o Programa de Pós-Graduação em nível de Mestrado. Foram iniciadas atividades de pesquisa e pós-graduação em Arquitetura e Organização de Computadores, Bio-Eletrônica, Processamento de Sinais de Vídeo, Sistemas de Comunicações, Sistemas de Controle, Teoria da Informação, Decisão e Planejamento, Fontes Não Convencionais de Energia e Dispositivos de Microondas.

Neste programa inicial apenas duas áreas de concentração no Programa de Pós-Graduação foram efetivamente consolidadas: Microondas e Comunicações.

Em 1979 deu-se a cisão do DEE em dois novos Departamentos: o DES e o DEESP. O DES foi composto majoritariamente por docentes em tempo integral e assumiu as atividades do mestrado em Engenharia Elétrica. Com este novo perfil o DES implantou duas novas áreas de concentração no Programa de Pós-Graduação: Eletrônica (1986) e Sistemas (1988).

Em 1989, o Departamento de Engenharia Elétrica e Sistemas de Potência (DEESP) começou a participar do programa com a vinculação de dois docentes, transferidos de outra universidade, com pesquisas na área de sistemas elétricos de potência.

Entre 1996 e 1999 foram implantados no DES o Laboratório de Dispositivos e Nanoestruturas e o Grupo de Fotônica, este último incluindo atualmente 3 unidades: Laboratório de Sensores e Instrumentação, Laboratório de Redes Ópticas, Laboratório de Microondas.

Em 2000 teve início o curso de doutorado no PPGEE, com aprovação da CAPES no mês de setembro do mesmo ano. No início de 2000, enquanto ainda tramitava na CAPES o projeto de implantação do curso de doutorado do PPGEE, foi iniciada a elaboração do projeto de implantação do Mestrado Profissionalizante em Engenharia Elétrica nas áreas de Comunicações e Processamento de Energia.

O DES tem ampliado suas atividades acadêmicas, conservando o principio da indissiobiabilidade do ensino da pesquisa e da extensão, contribuindo com a sociedade através da formação de profissionais de qualidade, da produção científica e da realização de projetos de pesquisa, desenvolvimento e extensão.