Voltar

Engenharia Civil tem duas defesas de dissertação nesta sexta-feira (8)

Apresentações serão no miniauditório no sexto andar do edifício da Diretoria do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG)

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC) e o Laboratório de Tecnologia dos Aglomerantes (LabTag) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) promove duas defesas de dissertações de mestrado na sexta-feira (8), no miniauditório localizado no 6º andar do edifício da Diretoria do Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), no Campus Recife.

Confira abaixo o cronograma e os resumos das apresentações:

Mestranda: Sara Martins Torres
Orientador: Antonio Acacio de Melo Neto
Título: “Aplicação da difração de raios x na análise do potencial pozolânico da cinza do bagaço da cana-de-açúcar para adição ao cimento Portland”
Horário: 9h

Resumo

A cinza do bagaço da cana-de-açúcar (CBCA) é um resíduo gerado a partir da queima do bagaço para geração de energia. Estudos recentes demonstraram que a CBCA tem um grande potencial de incorporação como adição mineral, podendo ser utilizada como pozolana em argamassas e concretos. Visando contribuir com a diminuição do volume de resíduos gerados pela agroindústria, reduzir a extração de matéria-prima para produção de cimento, e diminuir a emissão de gases para atmosfera, essa pesquisa tem como objetivo analisar o potencial pozolânico da CBCA, em especial a partir da aplicação da difração de raios X. Para realizar o estudo, a cinza coletada foi beneficiada, por meio de moagem e calcinação, para em seguida ser estudada como adição pozolânica. Os ensaios foram realizados com oito amostras, das quais quatro foram calcinadas e quatro mantidas in natura, com diferentes faixas de finura: bruta, 1.000, 1.300 e 1.600 m²/kg. Os resultados para o ensaio proposto pela NBR 5751:2015 indicaram que as CBCAs in natura 1.600, calcinada 1.000, 1.300 e 1.600 se classificam como pozolanas. De acordo com os resultados obtidos no ensaio da NBR 5752:2014, as CBCAs in natura 1.600, calcinadas 1.300 e 1.600 caracterizam-se como pozolanas. Por fim, através dos resultados do ensaio de difração de raios X em pastas de CBCA e cal, foi identificada a formação de compostos hidratados e o consumo do hidróxido de cálcio por meio da redução da intensidade dos seus picos característicos (18° e 34º), evidenciando a ocorrência da reação pozolânica. Essa redução alcançou maiores proporções, ou seja, maiores consumos de CH, nas cinzas calcinadas e com maiores faixas de finura. A partir da correlação entre os resultados da difração de raios X e da resistência a compressão obtida pela NBR 5751, constatou-se que para as CBCAs serem consideradas pozolanas, obtém-se uma redução de no mínimo 71,58% para o pico a 18° e 73,28% para o pico a 34°.Concluiu-se que a CBCA se mostrou como uma pozolana alternativa, uma vez que devidamente beneficiada.

Mestrando: Nilvan Teixeira de Araújo Júnior
Orientador: Antonio Acacio de Melo Neto
Título: “Concreto de alto desempenho produzido com escória álcali-ativada”
Horário: 14h

Resumo

O concreto de escória álcali-ativada está atraindo cada vez mais atenção devido ao seu potencial como alternativa ao concreto confeccionado com cimento Portland, sendo objeto de estudo em diversos países. Este trabalho teve como principal objetivo desenvolver um concreto de alto desempenho feito com escória ativada com silicato de sódio. Com a finalidade de comparar os resultados, foi primeiramente confeccionado um concreto de alto desempenho com cimento Portland e sílica ativa utilizando o método de dosagem IPT/USP modificado. Em seguida, produziu-se o concreto de escória álcali-ativada com a mesma metodologia utilizada para o concreto de alto desempenho, sendo realizada uma alteração na relação água/materiais secos. Nestes concretos, realizaram-se ensaios de resistência à compressão e módulo de elasticidade dinâmico com 1, 3, 7 e 28 dias e, além destes ensaios, aos 28 dias foram feitos ensaios de módulo de elasticidade estático e resistência à tração por compressão diametral. Os resultados mostraram que tanto o concreto de alto desempenho como o concreto de escória álcali-ativada desenvolveram altas resistências iniciais e finais. Os traços confeccionados para o concreto de alto desempenho alcançaram resistências à compressão acima de 50 MPa com um dia e acima de 109 MPa aos 28 dias, enquanto que os traços de concreto de escória álcali-ativada alcançaram resistências à compressão acima de 40 MPa com um dia e acima de 86 MPa aos 28 dias. De forma geral, ao realizar a comparação entre o concreto de alto desempenho e o concreto de escória álcali-ativada com resistências à compressão equivalentes, verificou-se que o módulo de elasticidade estático, a resistência à tração por compressão diametral e módulo de elasticidade dinâmico do primeiro apresentaram resultados maiores que os do segundo.

Data da última modificação: 05/02/2019, 10:48