Notícias Notícias

Voltar

Entrega do título de Professor Emérito a Gilberto Fernandes de Sá lota auditório do DQF

Solenidade aconteceu no Departamento de Química Fundamental na quarta-feira (9) à tarde

O professor Gilberto Fernandes de Sá, do Departamento de Química Fundamental (DQF), recebeu o título de Professor Emérito da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) na última quarta-feira (9) à tarde, no auditório do DQF, no Campus Recife. Autor do discurso panegírico, o professor Alfredo Arnóbio da Gama (DQF) destacou sua capacidade de aglutinar pessoas e sua preocupação, antes de tudo, com a formação dos estudantes. “Ele sempre perseguiu a interação entre experimental e teórico e o número de citações mostra a importância do seu trabalho”, afirmou. O homenageado tem 167 artigos indexados, com 4,8 mil citações.

Fotos: Passarinho

Alunos e colegas lotaram o auditório em homenagem a Gilberto de Sá

O professor titular Ivon Palmeira Fittipaldi, um dos fundadores do Departamento de Física, que convive com Gilberto desde a década de 1970, enviou um texto para ser lido após o discurso. Ele destacou a redução das assimetrias regionais durante o período do docente na gestão pública da pesquisa científica. “Além de sua notável carreira científica, ele se destaca pelo bom trato com as pessoas, generosidade e liderança”, afirmou. 

Em seguida, aconteceu a transladação das vestes talares, de acordo com o protocolo acadêmico da Universidade de Coimbra, com a samarra (capa) e o capelo (chapéu) na cor azul das ciências exatas.

“Minha vida foi toda ligada ao nosso departamento”, afirmou o professor Gilberto Sá. Ele centrou sua fala nas memórias ligadas à vida universitária e distribuiu um texto em defesa da universidade pública e pela manutenção da pesquisa de alto nível nas instituições de ensino superior. “Por que atacar a universidade pública? Embora represente apenas 12,1% do sistema nacional, é responsável por 95% da produtividade nacional da pesquisa e seu papel social vai além da pesquisa para atingir a sociedade brasileira de muitas maneiras importantes. Setenta por cento dos graduados pertencem a famílias com renda mensal em torno de R$ 1.500”, questionou.

“O ponto de partida é perseguir a excelência. Precisamos ser excelentes alunos, excelentes professores e excelentes pesquisadores trabalhando com os pés na terra e sem perder de vista a consciência de nossa responsabilidade histórica e ética. Nós representamos os interesses dos que, financiando nossos estudos, jamais puderam ultrapassar os portões da universidade. Excelentes em cada um dos nossas campos de atuação, seremos igualmente líderes e assim ajudaremos na construção de círculos de reflexão sobre a realidade, nos preparando para nela intervir como sujeitos históricos”, defendeu o homenageado.

O reitor Anísio Brasileiro destacou a representação massiva dos estudantes na solenidade, que lotaram o auditório do DQF, inclusive alguns de pé ou sentados no chão. “O professor Gilberto demonstra coerência de vida expressa em sua história”, disse, ressaltando que o novo professor emérito prima pela defesa dos princípios universitários e que o título reflete a vida acadêmica e profissional. Também compuseram a mesa da solenidade o diretor do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCEN), professor Marcelo Navarro, e a chefe do DQF, professora Rosa Maria Souto Maior.

CURRÍCULO - Gilberto Fernandes de Sá é bacharel em Química pela Universidade Federal do Ceará (1966). Possui doutorado em Química (Química Inorgânica) pela Universidade de São Paulo (1972) e realizou pós-doutorado no Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS), na França (1976). Chegou à UFPE como professor visitante e, em 1975, tornou-se professor adjunto da Universidade, inicialmente vinculado ao Departamento de Física (DF), tendo se aposentado em 1998. Na Universidade, implantou o Laboratório de Terras Raras (BS-TR1-1975) e colaborou na implantação do Grupo de Física Atômica e Molecular do DF (1974) e na criação do DQF (1983). Saiba mais sobre sua trajetória acadêmica

Confira o álbum de fotos da cerimônia, de autoria do fotógrafo Passarinho, da Ascom UFPE.

 

Data da última modificação: 14/10/2019, 16:04

  • Livro discute lugar da mulher negra no mercado de trabalho
  • Línguas indígenas são instrumento de cultura e identidade
  • UFPE pesquisa origem e dispersão do óleo nas praias do Nordeste