Back

Pesquisador identifica nova espécie de camarão no Museu de Oceanografia da UFPE

A pesquisa foi tema do artigo "A new western Atlantic snapping shrimp of the Alpheus macrocheles group (Caridea, Alpheidae) revealed by morphological, molecular and color data", publicado no European Journal of Taxonomy, em novembro de 2019.

Por Renata Reynaldo 

A partir de estudo realizado no Departamento de Zoologia da UFPE, o pesquisador em Biologia Marinha Guidomar O. Soledade identificou uma nova espécie de camarão, pertencente ao grupo dos camarões-de-estalo. O novato no rol dos crustáceos descritos, denominado Alpheus ramosportoae, é um pequeno camarão carídeo e apresenta como principais características distintivas capuzes oculares armados com dentes, primeiro quelípodo menor com forte crista na superfície dorsal do dedo móvel e primeiro quelípodo maior com dente molar bem desenvolvido na superfície cortante do dedo móvel. A identificação científica da espécie consta do artigo "A new western Atlantic snapping shrimp of the Alpheus macrocheles group (Caridea, Alpheidae) revealed by morphological, molecular and color data", publicado no European Journal of Taxonomy, em novembro de 2019.

Segundo o autor da pesquisa, que contou com a orientação do professor Alexandre Almeida, no Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal da UFPE, a nova espécie é ainda pobremente conhecida quanto a aspectos biológicos, tais como reprodução e desenvolvimento, hábitos alimentares e longevidade. "Há décadas acreditava-se que uma outra espécie, a Alpheus macrocheles, ocorria ao longo dos dois lados do Oceano Atlântico. Hoje sabemos, por meio das minhas análises de doutorado, que o material brasileiro corresponde a Alpheus ramosportoae, enquanto Alpheus macrocheles é agora considerado restrito ao Atlântico Oriental (Europa e África)", explica Guidomar, destacando a importância do achado.

Durante o levantamento, o DNA dos espécimes frescos foi extraído e usado para comparações com as espécies mais aparentadas à nova espécie, cuja distribuição geográfica atualmente é restrita ao Norte e Nordeste do Brasil, registrada desde o Amapá até Pernambuco. Segundo explica o professor Almeida, o nome dado ao novo crustáceo, Alpheus ramosportoae, é uma homenagem à professora Marilena Ramos-Porto em reconhecimento ao seu pioneirismo em estudos relacionados ao grupo de camarões a qual a espécie pertence. "Aposentada do Departamento de Pesca da UFRPE, Ramos-Porto contribuiu para o conhecimento dos crustáceos da costa brasileira, sobretudo da costa Norte e Nordeste", atesta. 

DEFESA | No estudo, Guidomar também aponta uma peculiaridade comum aos camarões do grupo ao qual a espécie nova integra, os camarões-de-estalo. "Estes organismos recebem essa denominação por apresentarem um mecanismo que gera um som de estalo audível ao ouvido humano, produzido através da morfologia dos dedos do primeiro quelípodo maior. Ao fecharem esses membros, os camarões criam uma bolha de ar que, ao estourar, produz o som. Este comportamento é utilizado na defesa e para atordoar presas no momento da captura de alimento", explica. A espécie, segundo sua "certidão de nascimento", é bêntica, vive no substrato marinho, habita o fundos de cascalho de coral, rodolitos, algas calcárias e esponjas e pode ser encontrado em aglomerados destes organismos bem como dentro das fissuras de estruturas coralíneas.

O material pertencente à nova espécie foi acessado em parte na coleção de Crustacea do Museu de Oceanografia Professor Petrônio Alves Coelho (UFPE), que contém indivíduos coletados há mais de 40 anos. Além deste material, alguns espécimes novos foram coletados através de amostragens por meio de dragagens realizadas ao largo de Recife. O estudo foi desenvolvido com a coorientação do professor Fernando Mantelatto (USP de Ribeirão Preto) e contou com a colaboração da professora Mariana Terossi (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e do doutorando Justin Scioli (Universidade de Louisiana, EUA).

Mais informações

Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal da UFPE
ppgba.ufpe@gmail.com

Guidomar O. Soledade
(81) 9 8788.9495 (para uso exclusivo da imprensa)
guidoosoledade@gmail.com

Date of last modification: 15/01/2020, 16:19