Back

Aplicativo orienta sobre medidas para conter danos provocados por chuvaradas e inundações

O invento foi desenvolvido por Myllena Matias da Silva como produto de dissertação de mestrado

Por Maik Santos

Todos os anos, o Brasil sofre com problemas decorrentes do grande volume de chuvas e de doenças que, de alguma forma, estão atreladas à água, como a dengue. Com o propósito de contribuir para reduzir os impactos negativos dessas intempéries, Myllena Matias da Silva desenvolveu, como atividade acadêmica no Programa de Pós-Graduação em Rede Nacional para Ensino das Ciências Ambientais (Profciamb), na UFPE, um protótipo de aplicativo educacional móvel voltado para a orientação de estudantes adolescentes sobre desastres hidrológicos e doenças relacionadas.

O invento, descrito na dissertação “Aplicativo sobre água e saúde: uma proposta educativa para o ensino de Ciências Ambientais”, desenvolvida sob a orientação da professora Patrícia Smith Cavalcanti, segundo a própria autora, “rompe com as metodologias de ensino tradicionais da escola, tratando as questões ambientais de forma interdisciplinar e insere as tecnologias contemporâneas nos processos de aprendizagem escolar”. Myllena, que está disposta usar o app com base para o doutorado, prevê o seu lançamento a partir de 2021.

CLICANDO | Na tela inicial da ferramenta virtual, são apresentados quatro botões por meio dos quais o usuário pode obter informações sobre meio ambiente e saúde. No primeiro, intitulado “Enxurradas / Inundações”, sabe-se sobre o que são esses fenômenos, suas causas e possíveis planos de combate e prevenção; na segunda opção “Ações / Prevenção”, é possível acompanhar as ações de prevenção realizadas pela Prefeitura de Olinda, foco do projeto. Já a seção “Minicasos” apresenta situações para que o usuário escolha alguma solução para o problema apresentado. A última das quatro opções é o de “Sugestões”. 

Ao clicar na primeira opção, o usuário também pode acessar um mapa do entorno de onde ocorrem as intempéries, identificando pontos que possam estar sofrendo com o problema. Na mesma tela, há opções para conferir se sua locomoção está comprometida por causa das enxurradas e inundações; listas das doenças ocasionadas no período de chuvas e, também, instruções sobre medidas necessárias para evitar mais riscos para a população. Há, ainda, possibilidade de acompanhar as ações de prevenção realizadas pelo seu município assim como, clicando no direcionamento para o YouTube, pode-se visualizar informações sobre as ações de outras cidades do país.

METODOLOGIA | Myllena iniciou o projeto com entrevistas a dez estudantes do Ensino Médio, com o objetivo de discutir com eles pontos sobre educação ambiental, tecnologia no ensino e sobre os problemas ambientais em Olinda, cidade onde estudam e residem. Todos os estudantes participavam da ONG Casa Padre Melotto, local onde a autora atuou como professora. Myllena julga essa fase como a mais importante, pois, através dela, foi possível obter e discutir informações sobre a realidade desses alunos para a construção do produto da pesquisa: o protótipo de aplicativo. 

Em uma busca inicial, a pesquisadora identificou a existência de 21 principais aplicativos ligados à temática água ou doenças relacionadas a ela; no entanto, a grande maioria deles aborda apenas temas ligados à dengue. A autora pontua que esses aplicativos deixavam de fora outras doenças que são possíveis de contaminação através da água e medidas de intervenções para combater as problemáticas que contribuem para a contaminação. Além disso, Myllena esclarece também que “apenas um dos aplicativos apresenta um conteúdo voltado para uso de professores e alunos do Ensino Médio e EJA, mas deixa a desejar sobre as funcionalidades de usabilidade quanto à localização”.

Mais informações

Pós Graduação em Rede Nacional para Ensino das Ciências Ambientais (Profciamb)
profciambpe@gmail.com

Myllena Matias da Silva
myllena16bep@gmail.com

Date of last modification: 19/02/2020, 23:07