Back

Núcleo de Telessaúde (Nutes) lança serviço a distância para orientação gratuita sobre a Covid-19

Profissionais de saúde (médicos ou enfermeiros) que desejem atuar como teleconsultores voluntários devem entrar em contato com o Nutes

O Núcleo de Telessaúde (Nutes) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) está lançando a Central de Telemonitoramento Clínico para Enfrentamento ao Coronavírus (Covid-19), com serviços de orientação, consulta e interconsulta a distância. "Só a telessaúde garante a escala de atendimento que nosso sistema de saúde exige. Precisamos chegar rápido e com qualidade aonde quer que o paciente esteja", explica a professora Magdala Novaes, coordenadora do Nutes. Profissionais de saúde (médicos ou enfermeiros) que desejem atuar como teleconsultores voluntários devem entrar em contato com o Nutes por meio de formulário eletrônico.

A central é uma estratégia de telessaúde que oferece práticas digitais a distância, via internet, para ampliar o acesso à saúde, melhorar a qualidade do cuidado e otimizar os custos do sistema de saúde. Outras vantagens são promover a colaboração entre profissionais de saúde, chegar aonde a rede física de atendimento está sobrecarregada, reduzir riscos no deslocamento de profissionais de saúde e pacientes e atender pessoas em condições de vulnerabilidade, principalmente idosos e seus cuidadores, vivendo em locais distantes e isolados.

Para ajudar no enfrentamento da pandemia, o Nutes vai ofertar um canal de teleorientação da população com teleconsultores de saúde, a fim de fazer o melhor encaminhamento em cada caso, e disponibilizar a teleinterconsulta para troca rápida de informações entre profissionais de saúde que estão atendendo a população. O serviço é gratuito e está disponível no horário comercial, das 9h às 18h, mas pode ser expandido à medida que a quantidade de médicos e enfermeiros aumentar. O paciente poderá falar na mesma hora se houver um teleconsultor disponível ou agendar seu horário de atendimento.

Ao acessar a plataforma para buscar informações ou atendimento, o paciente fala com o teleconsultor de saúde (por chat ou chamada de áudio ou vídeo), que analisa o caso, fornece orientações e encaminha o paciente de acordo com seu quadro clínico, baseado nas melhores evidências. Se o paciente estiver sem sintomas, é liberado e recebe orientação; se suspeito ou com sintomas leves, recebe telemonitoramento domiciliar; com sintomas graves, é encaminhado para a unidade de saúde mais próxima.

NUTES - O Nutes se dedica ao ensino, pesquisa e desenvolvimento de projetos e ações em saúde digital, usando as Tecnologias da informação e Comunicação (TICs) na saúde. O núcleo contabiliza mais de 20 mil teleconsultorias, 30 mil telediagnósticos e 100 mil participações em suas ofertas de tele-educação, ao longo de seus 16 anos de atuação e como membro do Programa Telessaúde Brasil do Ministério da Saúde. Seu time conta com professores do Centro de Ciências Médicas (CCM) da UFPE, médicos, enfermeiros e pesquisadores de Ciência da Computação e de instituições parceiras.

Nesta ação, o Nutes conta com apoio institucional de diversos parceiros, como o Programa Telessaúde Brasil (Sistema Único de Saúde - SUS / Ministério da Saúde), a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (Fade UFPE), a Rede Universitária de Telemedicina (Rute) da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), e a empresa TI.Saúde Tecnologias em Saúde, plataforma de comunicação com o paciente e gestão da saúde.

Date of last modification: 26/03/2020, 18:44