Graduação Graduação

Cursos de Graduação oferecidos pelo Departamento de Química Fundamental

  • Química - Bacharelado: clique aqui para ver a descrição do curso
  • Química - Licenciatura: clique aqui para ver a descrição do curso

Monitoria

As inscrições estão abertas para monitoria bolsista e voluntária nos cursos oferecidos pelo DQF. Alunos interessados podem se inscrever aqui.

Outros Conteúdos:

  1. Química Geral I

  2.  Manual Acadêmico

  3. Regras de Jubilamento

  4. Plágio Acadêmico

  5. Programa PIBID

  6. Programa PET

1. Química Geral I

2. Manual Acadêmico

3. Regras de Jubilamento

4.  Plágio Acadêmico

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) recomenda, com base em orientações do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que as instituições de ensino públicas e privadas brasileiras adotem políticas de conscientização e informação sobre a propriedade intelectual, adotando procedimentos específicos que visem a coibir a prática do plágio quando da redação de teses, monografias, artigos e outros textos por parte de alunos e outros membros de suas comunidades. A orientação é proveniente de proposição da Comissão Nacional de Relações Institucionais e da Seccional da OAB/Ceará (n. 2010.19.07379-01) aprovada pelo referido Conselho em sessão plenária no dia 19 de outubro de 2010. O texto ressalta que as ferramentas tecnológicas da informática e o advento da internet proporcionam acesso irrestrito a muitos bancos de dados oficiais e particulares e que algumas distorções advindas desta facilidade de acesso eletrônico têm gerado preocupações no sentido da prática nociva de copiar e colar textos. “Além da prática ilegal de apropriar-se da obra de terceiros sem autorização e sem a referência devida, o procedimento nefasto infecciona a pesquisa, produzindo danos irreparáveis.” A OAB recomenda o uso de softwares que fazem a leitura eletrônica do texto (artigo, monografia, dissertação ou tese). Em seguida, realizam rastreamento comparativo em vários sites de busca na internet e em base de dados, verificando se o autor copiou frase ou parágrafo, por exemplo, identificando a base de dados e o texto copiado. A OAB orienta ainda que, por não se tratar de programa absoluto, procedimentos internos nas instituições acadêmicas devem ser adotados para aferir se houve ou não plágio. Um deles, citado como necessário, é que as instituições criem comissão que avalie os resultados obtidos pelo software de forma objetiva, aferindo o grau de gravidade no caso dos textos copiados. A Capes concorda com as orientações da Ordem dos Advogados do Brasil e reforça a necessidade de combate ao plágio onde quer que este se manifeste.

Ao constatar casos de plágio de tese, dissertação ou outro trabalho acadêmico, o estudante deve procurar a solução pelas vias hierárquicas da instituição em que o trabalho foi originalmente apresentado. Por orientação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a CAPES reforça a necessidade de combate ao plágio onde quer que este se manifeste. Para isso, foi preparado pela Coordenação um documento, voltado às instituições de ensino superior, sobre a adoção de procedimentos específicos que visem coibir a prática do plágio nas próprias IES.

Os diferentes tipos de plágio e o código de conduta acadêmica publicado pela FAPESP estão disponíveis nos links abaixo. Lembrando que é responsabilidade de todo estudante da PPG-Química conhecer o regulamento e as normas que regem o mesmo.

Cartilha sobre plágio acadêmico

Código de boas práticas científicas publicado pela FAPESP

Quim. Nova, 2011, 34: 371

Quim. Nova, 2008, 31:197

Quim. Nova, 2006,29: 185

5. Programa PIBID

6. Programa PET

Programa de Educação Tutorial (PET) foi criado pelo Ministério da Educação para apoiar atividades acadêmicas que integram ensino, pesquisa e extensão. O programa PET do curso de Química foi implantado em novembro de 1988 pelo Prof. Alfredo Arnóbio da Gama, que se mantém como coordenador do programa ainda hoje. Para contemplar os objetivos do programa, os bolsistas do Programa PET-Química desenvolvem projetos de pesquisa, ensino e extensão. Todos os bolsistas estão inseridos em uma iniciação científica individual, onde desenvolvem trabalhos de pesquisa em Química ou áreas afins. Nas atividades de extensão e ensino, o PET-Química recebe alunos de escolas públicas e privadas, para conhecerem o Departamento de Química Fundamental da UFPE, propiciando a vivência prática da Química, com visistas aos laboratórios bem como a realização de experimentos. Além disso, o grupo promove mensalmente colóquios intitulados Museu das Ciências: Os grandes Vencedores do Nobel, divulgando o conhecimento sobre as grandes descobertas científicas da humanidade. Para mais informações, visite http://petquimicaufpe.wix.com/oficial

Contato para informações

e-mail: petquimicaufpe@googlegroups.com
Tel.: 2126-8440  - Ramal 5014

Seleção de Novos Bolsistas

Pré-requisitos

  • Ser estudante de Bacharelado/Licenciatura em Química;
  • Ter média geral no mínimo 6,0 (estudantes do primeiro período que ainda não possuem média geral podem se inscrever e terão sua situação avaliada ao final do período);

Inscrição e Seleção

  • Preencher a ficha de inscrição na sala do PET-Química que se encontra no segundo andar do Departamento de Química Fundamental;
  • Apresentar o histórico escolar atualizado;
  • Preparar um seminário de 15 a 20 minutos sobre um tema científico de sua escolha.
  • Ao final de todas as apresentações de seminários, serão realizadas entrevistas individuais com cada cadidato.

Informações sobre o Programa

O PET-Química é um programa vinculado ao MEC/SESu em que o aluno é orientado por um professor tutor e realiza trabalhos de pesquisa, ensino e extensão, além de uma Iniciação Científica com um professor orientador de sua escolha. O bolsista tem a oportunidade de manter contato com diversas áreas da Química e outras ciências. O Petiano recebe uma bolsa mensal de auxílio fornecida pelo MEC/SESu, sem a necessidade de renovação anual (desde que mantenha um rendimento mínimo dentro do programa).