Departamento de Engenharia Química

Programa de Recursos Humanos em Petróleo e Gás Natural (PRH-28) Programa de Recursos Humanos em Petróleo e Gás Natural (PRH-28)

Programa de Recursos Humanos em Petróleo e Gás Natural

O desenvolvimento do setor produtivo nacional de petróleo e gás evolui na direção de maiores demandas por recursos humanos especializados. A satisfação dessas demandas, por seu lado, levará a uma maior participação de tecnologia brasileira no setor. Os engenheiros químicos formados com especialização em petróleo e gás garantirão as condições de evolução exigidas.

 

A Agência Nacional do Petróleo-ANP, ciente da importância da formação de profissionais com capacitação adequada para atuar no setor petróleo e gás natural, tomou a iniciativa de estimular a complementação curricular de cursos universitários tradicionais e de educação profissional de nível médio, com disciplinas extras de especialização no setor. Para atingir esses objetivos, foi lançado, em 1999, o Programa de Recursos Humanos da ANP para o Setor Petróleo e Gás - PRH-ANP-, tendo como premissa básica a participação e o apoio das Instituições de Ensino, na forma de parcerias.

 

O PRH-ANP, através das Instituições, concede:

Bolsas de estudos;  Taxa de Bancada (suporte financeiro para gastos específicos referentes a operacionalização do respectivo programa);
 

A Universidade Federal de Pernambuco, através do seu Departamento de Engenharia Química, investindo na formação de engenheiros químicos especializados em engenharia de processamento de petróleo e gás, está orientando os seus cursos de graduação e pós-graduação em engenharia química para o setor. O objetivo é a formação de recursos humanos com capacidade de realizar as tarefas de projeto, operação e manutenção nas unidades de processamento de gás, refino de petróleo e unidades petroquímicas correlatas.

 

O PRH-28 tem a finalidade de formar recursos humanos com capacidade de realizar as tarefas de projeto, operação e manutenção nas unidades de processamento de gás, refino de petróleo e unidades petroquímicas correlatas.
 

 

ÊNFASES do PRH-28:

  • ENGENHARIA DO PROCESSAMENTO QUÍMICO DO PETRÓLEO - GRADUAÇÃO
  • DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS DO PETRÓLEO - MESTRADO
  • DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS DO PETRÓLEO - DOUTORADO (processo de implementação)

 

Mais Informações:

A Lei de no 9478, de 6 de agosto de 1997, dispõe sobre a política energética nacional e sobre atividades relativas ao monopólio do petróleo. Ela instituiu o Conselho Nacional de Política Energética e a Agência Nacional do Petróleo (ANP). Ficou determinado por ela que pertencem à União os depósitos de petróleo, gás natural e outros hidrocarbonetos fluidos, bem como todo o acervo de dados e informações sobre as bacias sedimentares brasileiras. As atividades de pesquisa e lavra das jazidas destes recursos energéticos, que são monopólio da União, poderão ser exercidas por empresas constituídas sob as leis brasileiras, com sede e administração no País, mediante concessão ou autorização, e serão reguladas e fiscalizadas pela União. A regulamentação, a contratação e a fiscalização destas atividades passam a ser de responsabilidade da ANP.

 

A referida lei estabelece que  cabe à ANP “estimular a pesquisa e a adoção de novas tecnologias na exploração, produção, transporte, refino e processamento" (art. 8°, alínea X), do total de recursos destinados ao Ministério da Ciência e Tecnologia – MCT (25% do valor do royalty que exceder a 5% da produção), serão aplicados no mínimo 40% em programas de fomento à capacitação e ao desenvolvimento científico e tecnológico nas regiões Norte e Nordeste (art. 49, I-d, II-f, parágrafos 1o) e que o  MCT administrará os programas de amparo à pesquisa científica e ao desenvolvimento tecnológico, com apoio técnico da ANP (art.49, parágrafo 2o).

 

A Resolução ANP n.º 307, de novembro de 1998, cria o Programa de Recursos Humanos (PRH) da ANP para o setor petróleo e gás natural. O PRH tem por objetivo estimular instituições de ensino a oferecerem aos seus alunos especializações profissionais para o setor petróleo e gás natural, em cumprimento ao estabelecido na Lei 9.478/97. Na prática, os programas oferecem, nos cursos de Engenharia, Administração e Direito, entre outros, disciplinas optativas que caracterizem uma especialização requerida pelo setor, como por exemplo, a de estruturas offshore ou a construção de dutos.

 

A seleção dos 36 programas em execução resulta de três editais lançados entre 1999 e 2000. As propostas foram avaliadas e selecionadas pela Diretoria e Superintendências técnicas da ANP.  Os programas são implementados ao amparo de convênios de cooperação entre a ANP e 23 instituições de ensino, dentre elas, a UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO com dois programas o PRH 26 e o PRH 28.

 

Ao amparo dos convênios são concedidas bolsas de estudo para os níveis de graduação, mestrado e doutorado; bolsas de pesquisa para coordenadores e pesquisadores visitantes, destinadas a estudos sobre as demandas profissionais e as tendências tecnológicas e estruturais do mercado para permanente orientação das atividades curriculares; taxas de bancada, recursos financeiros equivalentes ao valor das bolsas para aquisição de bibliografia, material de consumo, apoio aos trabalhos de pesquisa dos bolsistas e outras necessidades específicas dos cursos.

 

O Programa PRH investiu nas universidades o montante de mais de 300 milhões de reais nos últimos dez anos. Os recursos são oriundos do fundo setorial do petróleo CT-PETRO através do MCT.

 

PRH-28

 

 

O PRH-28 faz parte do programa institucional PRH/ANP da Agência Nacional do Petróleo que tem como objetivo a formação e qualificação de recursos humanos para atuação no setor de petróleo, gás natural e biocombustíveis. O PRH-28 surgiu do convênio entre a ANP e a Universidade Federal de Pernambuco-UFPE através do Departamento de Engenharia Química e tendo como ênfase inicial a formação dos alunos de graduação em ENGENHARIA DE PROCESSAMENTO QUÍMICO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL.  Posteriormente o Programa se expandiu para atender ao curso de Pós-Graduação em Engenharia Química com ênfase em DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS QUÍMICOS DO PETRÓLEO e mais recentemente em sua última revisão, o programa incluiu as seguintes ênfases: GESTÃO AMBIENTAL NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO e GESTÃO DE RISCO E CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS INDUSTRIAIS, com objetivo de adequar cada vez mais o programa às demandas das indústrias do setor. Como resultado, o Programa fornece hoje bolsas de estudo para os alunos dos cursos de graduação, mestrado e doutorado em engenharia química, de mestrado e doutorado para os alunos de Química Industrial e no próximo ano serão incluídos os alunos de graduação em Química Industrial e da Engenharia de Produção.

 

Ao longo dos anos o PRH-28 disponibilizou 51 bolsas com sua respectiva taxa de bancada, para alunos de graduação e pós-graduação do curso de Engenharia Química da UFPE.

 

O Programa de Formação de Recursos Humanos PRH-28/ANP, desenvolve hoje projetos que se transformam em linhas de pesquisa na área de Engenharia de Processamento Químico de Petróleo e Gás Natural, com envolvimento de docentes do Departamento de Engenharia Química. Com a ampliação do Programa, novos docentes/doutores foram incorporados (5 do Departamento de Engenharia Química, 2 do Departamento de Engenharia de Produção, 1 do Departamento de Oceanografia e 1 do Departamento de Energia Nuclear). Atualmente estão envolvidos no PRH 28, 18 doutores/docentes, 1 pesquisador visitante, 1 secretária, além de 16 bolsistas de graduação e Pós-Graduação com bolsas de estudos financiadas pela ANP.  Para o ano de 2009 planeja fornecer 62 bolsas distribuídas da seguinte forma: 34 bolsas para os alunos de graduação, 19 bolsas para os alunos de mestrado e 9 bolsas para alunos de doutorado, o que demonstra a confiança e a necessidade de formação de recursos humanos para este setor.

 

Projetos Cooperativos do CTPETRO/FINEP, CNPq, PETROBRAS entre outros, garantem o desenvolvimento das pesquisas que dão suporte ao Programa, permitindo a requalificação de laboratórios, treinamento de pessoal e o desenvolvimento das investigações em laboratório.

 

A permanente busca de aperfeiçoamento que tem caracterizado os grupos envolvidos no PRH 28, as parcerias estabelecidas com instituições de ensino, públicas e privadas, com outras instituições, a interação permanente e cada vez mais aprofundada com a Petrobras e a decisão institucional de investir esforços e recursos no desenvolvimento de pesquisas dirigidas para o setor petróleo, constituem o diferencial deste programa na busca de contínuo investimento na atualização tecnológica.

Contato Contato

Escolaridade
(81) 2126 8717 ou 2126 7293
Secretaria Geral
(81) 2126 8238

Localização Localização