Departamento de Genética

Notícias Notícias

Voltar

Pós-Graduação em Morfotecnologia realiza a defesa da dissertação no próximo dia 12

Apresentação de Keila Tamires da Silva será no próximo dia 12, às 10h, na sala SH2 do Departamento de Histologia e Embriologia

O Programa de Pós-Graduação em Morfotecnologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) realiza a defesa da dissertação de mestrado “Análise do efeito do ácido úsnico de cladonia substellata (AHTI) encapsulado em microesferas sobre a ossificação endocondral dos membros da prole de ratas Wistar durante o 6º ao 15º dia de gestação”, de Keila Tamires da Silva.

A apresentação será no próximo dia 12, às 10h, na sala SH2 do Departamento de Histologia e Embriologia (DHE), no Centro de Biociências (CB). Além da orientadora, a professora Sônia Pereira Leite, compõem a banca examinadora os professores Luciana Maria Silva de Seixas Maia (DHE), Juliana Pinto de Medeiros (DHE) e Francisco Carlos Amanajás de Aguiar Júnior, do Centro Acadêmico de Vitória (CAV).

Resumo

O ácido úsnico é um composto liquênico que apresenta relevantes atividades biológicas. Porém, a sua aplicação terapêutica é limitada devido a alguns relatos de efeitos colaterais. Tornando-se necessárias formas farmacêuticas alternativas, que minimize os seus efeitos tóxicos. O presente estudo objetivou analisar o efeito do ácido úsnico encapsulado em microesferas sobre a ossificação endocondraldos membros da prole de ratas Wistar durante o 6º ao 15º dia de gestação. Utilizou-se 12 ratas prenhes distribuídas no grupo controle (n=6) e tratado (n=6), onde receberam 1,0 mL de solução fisiológica e 25 mg/kg/dia de ácido úsnico encapsulado respectivamente. De cada rata, foram analisados seis fetos. Ao 20° dia de gestação, os fetos foram retirados para análise dos membros. Os resultados da análise histomorfométrica das zonas de proliferação e hipertrófica da cartilagem hialina do disco epifisário dos membros dos fetos revelaram alterações significativas. Na análise histomorfométrica da quantidade de colágeno do tipo I presente nos membros dos fetos, os membros posteriores apresentaram o valor-p significativo comparado ao grupo controle. Pode-se concluir que a administração do ácido úsnico encapsulado em microesferas foi capaz de causar alterações no desenvolvimento da ossificação endocondral dos membros. Porém, em proporções bem menores em relação à administração do composto na sua forma livre. Desta forma, podemos consumar que a liberação controlada do ácido úsnico a partir das microesferas minimiza os efeitos tóxicos sobre o desenvolvimento da ossificação endocondral.

Data da última modificação: 02/07/2019, 12:51

Contato Contato

Departamento
Fone: 2126-8520 / 8521 Fax: 2126-8569
Chefe
Profª. Ana Christina Brasileiro Vidal
Ramal: 8520/8521/8569
Sub-Chefe
Profª. Neide Santos
Ramal: 8520/8521/8569
Secretário
João Everaldo de Araújo
Ramal: 8520/8521/8569

Localização Localização