Atenção à população e orientação de profissionais de saúde Atenção à população e orientação de profissionais de saúde

Enfrentamento à COVID19: produzir Saúde e defender a vida

O que é: O Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família do CCS-UFPE  foi iniciado em 2010 e hoje forma 27 residentes aptos/as e dispostos/as a contribuírem de forma multiprofissional e multidisciplinar nesse momento pandêmico através da inserção na Atenção Primária à Saúde (APS) - nível de atenção à saúde de base territorial e comunitária -, integrados/as e orientados/as por profissionais da Equipes de Saúde da Família (eSF) e dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), vinculando-se às USF Skylab e Vila União e USF Upinha de Jardim São Paulo, respectivamente localizadas nos territórios de abrangência dos Distritos Sanitários IV e V da Cidade do Recife.

Objetivo: Potencializar ações promocionais, preventivas e assistenciais com reforço ao acompanhamento longitudinal familiar e comunitário e ao apoio psicossocial da população coberta pela Estratégia de Saúde da Família das Unidades referenciadas. 

Atividades: Apoiar a organizações coletivas e comunitárias a partir da educação popular em saúde e dos direitos humanos; Socializar informações de cuidado e prevenção à COVID19 com uso de recursos tecnológicos para educação em saúde; Favorecer a produção de máscaras de tecido a serem distribuídas na comunidade, fomentando a participação comunitária e ofertando barreira protetiva à disseminação da pandemia; Oportunizar espaço especializado de escuta e orientação à população; Ofertar apoio e acolhimento a profissionais das equipes de saúde; Fomentar a produção de conhecimento a partir das vivências de residentes e estudantes de graduação neste momento de emergência sanitária.

Equipe: Delaine Cavalcanti Santana de Melo (Coordenadora). É formado por docentes, discentes de graduação e residentes representantes dos seguintes núcleos profissionais: Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Saúde Coletiva, Serviço Social e Terapia Ocupacional. 

 

COVID-19: Orientações para Profissionais de Saúde 

O que é: Este projeto de extensão visa direcionar o planejamento das equipes responsáveis por setores de serviços de saúde quanto ao gerenciamento de casos de COVID-19 durante a transmissão comunitária do SARS-CoV-2 e também, além disso, orientar os serviços sobre medidas de prevenção do contágio de profissionais da saúde e higienização das unidades de saúde. As orientações baseiam-se em guidelines já validados e estabelecidos pelos principais órgãos de saúde mundiais que atuam no enfrentamento da Pandemia de COVID-19.

Objetivo: Acredita-se que mais de 20% dos indivíduos contaminados são profissionais da saúde. Por isso, este projeto visa dar suporte prático aos profissionais de saúde, visto que muitos dos guias usados por unidades de saúde no Brasil não estão devidamente adequados quanto às questões de biossegurança. Além disso, profissionais em alguns serviços de saúde não têm tido garantida sua biossegurança, pois sequer foram considerados nos guias brasileiros. Assim, o presente projeto tem o importante papel de alertar os órgãos de saúde quanto ao fornecimento de proteção adequada e atuação correta no atendimento aos pacientes.

Atividades: O presente projeto está sendo executado virtualmente com auxílio de plataformas como Whatsapp®; Zoom® e Trello®. Os critérios usados para a compilação incluem: pesquisa em guias internacionais das principais agências de saúde, conferência de acordo com a expertise, conferência dos guias estabelecidos nos sistemas de saúde brasileiros e adaptação para a realidade brasileira. A equipe está sendo selecionada de acordo com sua expertise e categorizada em: Organizadores (responsáveis pela determinação dos temas a serem abordados e correções finais), Autores (responsáveis pela pesquisa do material e construção do manuscrito), Revisores (Equipe técnica de diversas expertises que faz a conferência do guia), Design (responsáveis pela arte e diagramação) e Webmaster (realiza a postagem online na página www.irrd.org/respostaemergencial).

Equipe: Priscila Gubert (Docente e coordenadora do projeto), outros professores da UFPE , discentes de cursos como Matemática, Biomedicina e Medicina, além de outros colaboradores. 

 

Participação de Estudantes de Graduação na sensibilização da população através de orientações em tempos da pandemia de Covid-19

O que é: A proposta extensionista tem como público-alvo a população LGBT, com intuito de identificar condicionantes de vida e seus agravamentos no contexto de pandemia do novo coronavírus, promovendo no enfrentamento das vulnerabilidades econômicas e sociais sensibilização, oportunidades formativas, campanhas educativas, articulação de redes de apoio e instituições. A necessidade do isolamento social e das medidas restritivas de convívio no enfrentamento da pandemia de Covid-19 precisam conter narrativas assentadas nas realidades e demandas situacionais deste contingente populacional, que tem peculiaridades no modo de organização social e lugar que lhes são colocados. 

Objetivo: Sensibilizar a população quanto a necessidade do isolamento social e das medidas restritivas de convívio social para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. 

Objetivos Específicos: 1. Identificar condicionantes de vida; 2. Promover informações que ajudem no combate a propagação e na prevenção ao contágio da Covid-19; 3. Elaborar e divulgar de campanhas educativas sobre formas de contágio e prevenção da Covid-19; 4. Orientar, através de peças publicitárias, formas de cuidado com a saúde das pessoas; 5. Possibilitar às (aos) estudantes de graduação a formação de conhecimentos, habilidades e atitudes que ponham em prática a teoria apreendida em sala de aula; 6. Ofertar minicursos (diversas áreas) de formação e qualificação para o mercado de trabalho; 7. Arrecadar insumos básicos à sobrevivência como alimentos e de higiene; 8. Distribuir os recursos arrecadados às pessoas mais vulneráveis dentro dos grupos de risco; 9. Sistematizar dados referentes às realidades analisadas através da aplicação de questionários online; 10. Analisar os dados coletados sobre as condicionantes de vida das pessoas em vulnerabilidade, especialmente a população LGBTI+; 11. Promover assistência social através de recursos arrecadados; 12. Reunir segmentos da sociedade civil organizada, pessoas ligadas à UFPE, outras Instituições de Ensino e demais órgãos governamentais e não-governamentais; 13. Ampliar a produção acadêmicas sobre as populações LGBTI+ na sociedade brasileira.

Atividades:  1. Análise do material e identificação de temáticas focais; 2. Aplicação de questionários acerca das condições de vida; 3. Arrecadação de donativos não-perecíveis e produtos de higiene e de preservação à saúde; 4. Chamamento discente da UFPE para participação; 5. Confecção de materiais temáticos/manuais/cartilhas mais aprofundados e divulgaçãO; 6. Cursos de capacitação profissional; 7. Fórum de discussão e proposição; 8. Levantamento de cadastros da população LGBT em instituições públicas e entidades não-governamentais; 9. Visita a comunidades e entidades de acolhimento à população LGBT (em caso de suspensão do isolamento social por parte das autoridades sanitárias).

Equipe: Geovana Gonzaga Borges (Coordenadora); professores da UFPE: Adriana Maria Paulo da Silva; Fabia Alexandra Pottes Alves; Fatima Maria Leite Cruz; Manuela Abath Valença; Tatiane Almeida de Menezes; discentes da UFPE:  Benedita de Araújo Subrinho; Catarina de Paula Silva; Dandara Camélia Domingues; David Joseph Rodrigues de Santana; Fábio Felipe Ferreira de Souza; Gabrielly Melusine Alves de Oliveira; Jarda Maria Andrade de Araújo; João Pedro Monteiro de Arruda; Marcya Soares da Silva    ; Maria Elisa Lucena da Silva; Maria Lúcia Duarte de Oliveira; Naomi Maria dos Santos Carneiro Leão; Narciso Faustino Mendes ; Nêmesis Lima Farias; Rafael Lucas Souza de Brito; Rafael Rodrigues Leite; Rimena Brilhantina Santana da Silva; Samantha Vallentine Cabral de Souza (Vice-Coordenador); Shanti Giovanna Cândida Cavalcanti; Sophia Rivera Alves da Costa e Silva; Tales Uriel Ferreira Pimenta; Thabata Alves Luiz; Tiago Rafael de Sousa Nunes. Membro externo: Deyvid Pereira da Silva

 

Jornal da Química Inorgânica

O que é: Este projeto de extensão visa compartilhar o conhecimento da Química, em edições temáticas, através da página do JQI na rede social Facebook. As ações propostas são transformadoras, de âmbito local ou regional, pois objetiva despertar o interesse do público leigo pela Química e ciências afins e são planejadas levando em consideração a necessidade de mecanismos e processos que permitam as pessoas conhecer, discutir, questionar e contextualizar os avanços científicos e tecnológicos com a sua realidade social.

Objetivo: Fomentar a divulgação científica através da comunicação “Jornal da Química Inorgânica” com publicações digitais de acesso aberto e enfoque educacional, tecnológico, cívico e de mobilização popular. As atividades de extensão propostas para atingir tal objetivo apresentam articulação direta com o Ensino Básico e Superior com impactos na formação: docente inicial no Ensino Superior, discente no Ensino Básico (Médio e Fundamental) e científica do publico em geral. 

Atividades: 1.Formação docente inicial favorecendo o desenvolvimento de competências das comunidades discentes dos cursos de graduação em Química-Licenciatura e Comunicação Social do Campus Agreste da Universidade Federal de Pernambuco para: (i) Saber trabalhar em equipe e ser capaz de planejar, coordenar, executar e avaliar ações voltadas para a divulgação científica da Química e ciências afins no contexto interdisciplinar. (ii) Buscar o autoaperfeiçoamento contínuo, a curiosidade e capacidade para estudos extracurriculares. (iii) Reconhecer a Química como uma construção humana compreendendo os aspectos históricos de sua produção e suas relações com os contextos culturais, socioeconômico e político. (iv) Saber identificar e fazer busca nas fontes de informações relevantes para a Química e sua divulgação, inclusive as disponíveis nas modalidades eletrônica e remota, que possibilitem a contínua atualização técnica, científica e humanística. (v) Ler, compreender e interpretar os textos científico-tecnológicos em idioma pátrio e estrangeiro (especialmente inglês e/ou espanhol) (vi) Saber comunicar e motivar o publico leigo para o conhecimento da Química e ciências afins. 2. Formação discente no Ensino Básico (Médio e Fundamental) motivando e favorecendo a ampliação do conhecimento contextualizado da Química e estabelecendo suas relações com as demais ciências, a tecnologia e a sociedade através das ações da transmissão de informações com caráter prático (com o objetivo de esclarecer a comunidade sobre a solução de problemas relacionados a fenômenos já cientificamente estudados); cultural (visando estimular na comunidade a curiosidade científica enquanto atributo humano e vocacional (visando motivar a vocação científica nos discentes do Ensino Básico). 3. Formação científica do publico em geral por favorecer o desenvolvimento de uma opinião pública informada sobre os impactos sociais decorrentes do desenvolvimento científico e tecnológico, da Química e ciências afins e ampliando a consciência cidadã a respeito de questões sociais, econômicas e ambientais associadas ao desenvolvimento científico e tecnológico. 

Equipe: Jane Maria Gonçalves Laranjeira (Docente e coordenadora do projeto), Roberto Araújo Sá e discentes dos cursos Licenciatura em Química e Comunicação Social . 

Edição: Em tempos de COVID19 (acesse aqui)