Prédio do CAA à noite

O CAA

O Centro Acadêmico do Agreste (CAA) foi o primeiro campus da UFPE no interior de Pernambuco, tendo sido inaugurado em março de 2006, com o objetivo de contribuir com o desenvolvimento social, econômico e cultural do Estado. Inicialmente, o CAA funcionou em instalações do Polo Comercial de Caruaru. Na escolha do município para instalaçao de um campus avançado da UFPE, foi considerada sua relevância no contexto atual da região do Agreste, que possui como principais características: cadeias e arranjos produtivos predominantes nas áreas da confecção e da agroindústria, e principal centro de serviços e negócios e de distribuição de mercadorias.  

O Centro iniciou suas atividades com cinco graduações, nas áreas de Administração, Design, Economia, Engenharia Civil e Pedagogia. Além desses, atualmente, funcionam também as licenciaturas em Química, Física, Matemática, a Licenciatura Intercultural, os cursos de Engenharia de Produção, Medicina e Comunicação Social, que integram seis Núcleos de Ensino (Ciências Exatas e da Natureza, Ciências da Vida, Design e Comunicação, Formação Docente, Gestão, e Tecnologia).

Na sede definitiva, há Laboratórios Integrados de Ciência e Tecnologia, onde são desenvolvidos projetos de pesquisa e extensão e a formação continuada. Dessa maneira, o CAA contribui positivamente no atendimento às demandas da região, interiorizando o conhecimento científico, preparando a população para o desenvolvimento adequado das atividades produtivas por ela assumidas e incentivando iniciativas que venham garantir melhores condições de vida.

Destaques do CAA Destaques do CAA

Voltar

Projeto Alumiar leva sessões acessíveis de cinema para quatro cidades pernambucanas

Em Caruaru, as sessões com recursos de acessibilidade comunicacional como audiodescrição, Língua Brasileira de Sinais e legenda acontecerão amanhã (5) e sexta-feira (6), no Armazém da Criatividade

Ao longo das duas primeiras semanas de dezembro, as pessoas com deficiência de Nazaré da Mata, Caruaru, Garanhuns e Arcoverde receberão uma programação de filmes com acessibilidade comunicacional realizada pelo Projeto Alumiar do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco/Ministério da Educação.

Os filmes listados na programação foram “O Auto da Compadecida”, de Guel Arraes, “Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo”, de Marcelo Gomes e Karim Ainouz, “Colegas”, de Marcelo Galvão, e “Menino Maluquinho”, de Helvécio Ratton. Todos com recursos de acessibilidade comunicacional como audiodescrição, Língua Brasileira de Sinais e legenda. Além das exibições, também será ofertada uma masterclass sobre acessibilidade audiovisual. Todas as atividades serão gratuitas. 

A ideia da itinerância do Alumiar na Estrada é ampliar o alcance de público e dar a oportunidade para mais pessoas com deficiências sensoriais de outras mesorregiões do Estado de Pernambuco assistirem filmes com acessibilidade comunicacional. A ação é desenvolvida em parceria com as secretarias de educação de cada cidade, visto que o projeto também visa a participação dos alunos com ou sem deficiência matriculados nas escolas públicas pernambucanas. 

A primeira sessão aconteceu ontem (3), na Escola Dom Ricardo Vilela, em Nazaré da Mata, com o filme O Auto da Compadecida. Em Caruaru, as sessões acontecerão no  Armazém da Criatividade, amanhã (5), às 14h, com a exibição do filme Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo, e sexta-feira (6), quando acontecerá a Masterclass: Acessibilidade Audiovisual, às 9h, e a exibição do filme O Auto da Compadecida, às 14h.

Para Ana Farache, coordenadora do projeto e do Cinema da Fundação, essa articulação só reforça a missão da Fundação Joaquim Nabuco como uma instituição ligada ao Ministério da Educação. “É super importante ter a presença das escolas e dos alunos com deficiência nos projetos de cinema acessível, faz parte do nosso compromisso como órgão educacional. Essa articulação nos permitirá levar esse conteúdo à diante, fazendo com que ele chegue em novos públicos. Assim pessoas com deficiência poderão ter acesso ao nosso cinema, à nossa cultura”, comenta Farache.

Sobre o projeto - O Projeto Alumiar do Cinema da Fundação Joaquim Nabuco realizou a acessibilidade comunicacional para 21 filmes brasileiros (Audiodescrição, Janela de Libras e Legenda para Surdos e Ensurdecidos), e exibiu, quinzenalmente e gratuitamente, nas salas de Cinema da Fundação do Derby e de Casa Forte. As sessões contabilizaram quase 3.000 espectadores, com a presença de 32 instituições, entre escolas e associações de pessoas com deficiência sensorial (com deficiência visual e/ou deficiência auditiva) do Recife e outras cidades da Região Metropolitana como Abreu e Lima, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Nazaré da Mata, Olinda e Paulista. Além das sessões, o Projeto Alumiar também promoveu atividades formativas, com a realização de três encontros de cinema e acessibilidade.

Mais informações
cinemadafundacao.com.br/alumiar

 

Programação:

Nazaré da Mata
Escola Dom Ricardo Vilela
03/12, 14h
Filme: O Auto da Compadecida

Caruaru
Armazém da Criatividade
05/12, 14h
Filme: Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo
06/12
9h - Masterclass: Acessibilidade Audiovisual
14h - Filme: O Auto da Compadecida

Garanhuns
Escola Professor Letácio Brito Pessoa
10/12
9h - Filme: O Auto da Compadecida
14h - Masterclass: Acessibilidade Audiovisual
11/12, 9h
Filme: Colegas

Arcoverde
Auditório da Secretaria de Educação e Esportes
12/12
9h - Filme: Menino Maluquinho
14h - Masterclass: Acessibilidade Audiovisual
13/12, 9h
Filme: O Auto da Compadecida

SERVIÇO
Sessão Alumiar Na Estrada
De 03 a 13 de dezembro
Nazaré da Mata, Caruaru, Garanhuns e Arcoverde

 

 
Data da última modificação: 04/12/2019, 10:51

Eventos Eventos

Contatos Contatos

Secretaria
(81) 2103-9156
Escolaridade
(81) 2103-9157
Assistência Estudantil
(81) 2103-9176
Central de Estágio
(81) 2103-9191

Localização Localização