Voltar

Com metodologia inovadora, pesquisadores da UFPE analisam genoma e espalhamento do coronavírus

Pesquisadores do Departamento de Biofísica e Radiobiologia (DBR) da UFPE utilizaram métodos de dinâmica não linear para analisar o genoma do coronavírus

Por Renata Reynaldo

Pesquisadores do Departamento de Biofísica e Radiobiologia (DBR) da UFPE utilizaram métodos de dinâmica não linear para analisar o genoma do coronavírus e a previsão de espalhamento da Covid-19. Por meio do chamado método fractal – que possibilita a obtenção de grau de complexidade de uma estrutura – eles fizerem identificações minuciosas, as assinaturas fractais, das sequências genéticas de três coronavírus, o que permite estudar a sua evolução e, mesmo, identificá-los a partir dessas assinaturas. O trabalho, segundo o coordenador dos estudos, professor Thiago de Salazar e Fernandes, “é uma quebra de paradigmas, por combinar métodos de dinâmica não linear e caminhada aleatória, sendo, portanto uma abordagem inovadora”. 
 
Como resultado acadêmico da pesquisa, a equipe publicou dois artigos científicos e no primeiro, “Fractal signature of coronavirus related to severe acute respiratory syndrome”, o professor Thiago, juntamente com o mestrando do Programa de Pós-Graduação em Morfotecnologia Jonas Oliveira e a também professora do DBR/UFPE Isvania Serafim Lopes analisaram os genomas de três coronavírus que causaram síndrome respiratória aguda grave em humanos: o SARS-CoV, o MERS-CoV e o atual SARS-CoV-2. “Essa identificação torna mais fácil e preciso o diagnóstico da doença”, atesta.

             
  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No outro artigo, “Chaotic model for COVID-19 growth factor”, Fernandes empregou as mesmas ferramentas fractais para estudar o espalhamento da Covid-19 no mundo, e encontrou também um padrão de repetição (chamado de “memória” da série), em que uma tendência de aumento do número de novos casos é seguida da tendência de baixa, e vice-versa. O resultado, segundo o pesquisador, “mostra que a doença se espalha de maneira caótica”.

Diferentemente da aplicação comumente utilizada, a expressão “caos” nesse estudo se refere ao termo empregado em Matemática para sistemas determinísticos que possuem a aparência de serem aleatórios. “Ou seja, possuem a aparência de ocorrerem ao acaso, mas são determinísticos e o conhecimento desse tipo de dinâmica permite uma melhor compreensão do espalhamento da doença, e auxilia na tomada de decisões, para o seu devido controle”, explica o autor.

               

 

 

 

 

 

Justamente por apresentar um padrão fractal de espalhamento, significa que a disseminação da Covid-19 está oscilando entre valores de alta e de baixa, como característica de um comportamento caótico ou fractal, e não apenas de um crescimento constantemente exponencial. Para o pesquisador, “compreender a dinâmica complexa da disseminação da Covid-19 é crucial para a tomada de decisões no controle da propagação da doença”.

Mais informações

Departamento de Biofísica e Radiobiologia (DBR) da UFPE
(81) 2126.8535
secretaria.dbr@gmail.com

Professor Thiago de Salazar e Fernandes
thiago.fernandes@ufpe.br

Data da última modificação: 07/08/2020, 17:19