Navegação Navegação

Voltar

UFPE SOS Mar lança hotsite e recepciona novos projetos de extensão e pesquisa

Projetos foram aprovados no edital conjunto das Pró-Reitorias para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) e de Extensão e Cultura (Proexc)

Está no ar o hotsite da Rede UFPE SOS Mar, lançado na tarde de ontem (4) na reunião do comitê da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), instalado para tratar das ações relativas aos danos causados pelo óleo nas praias de Pernambuco, no Auditório Reitor João Alfredo, na Reitoria. Produzido pela Pró-Reitoria de Comunicação, Informação e Tecnologia da Informação (Procit), o conteúdo está sendo reunido de forma colaborativa pelos integrantes do comitê e traz informações sobre os projetos que estão sendo realizados. “Resguardar a memória e a história desse projeto é muito importante”, afirmou o coordenador do comitê, o professor Gilberto Rodrigues, do Departamento de Zoologia.

O encontro contou também com a apresentação dos primeiros resultados de análise de pescados e com a recepção dos coordenadores dos projetos aprovados no edital conjunto das Pró-Reitorias para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) e de Extensão e Cultura (Proexc). As ações incluem, dentre outras atividades, a realização de um documentário sobre as ações do programa UFPE SOS Mar, sob a coordenação do professor Diego Astúa de Moraes, do Departamento de Zoologia, e uma ação de educação ambiental em Itapuama com aulas de surfe para inserir as pessoas no cuidado com a praia, coordenada pelo docente Tony Meireles dos Santos, do Departamento de Educação Física.

A necessidade de coordenar as ações para obter melhores resultados foi destacada pelos docentes. “A rede precisa acontecer na prática na Universidade”, disse a professora Simone de Lira Almeida, do Departamento de Hotelaria e Turismo. “Precisamos tentar otimizar os recursos de forma conjunta”, ressaltou a docente, cujo projeto de extensão vai realizar uma coleta documental com foco na questão da segurança alimentar. “É importante que os grupos se reúnam para maximizar esforços e retornos”, ressaltou o professor José Souto Rosa Filho, do Departamento de Oceanografia, que aprovou um projeto sobre monitoramento dos efeitos do óleo na costa pernambucana.

PESCADOS - O professor Gilvan Yogui, do Departamento de Oceanografia, apresentou os primeiros resultados da análise de 55 amostras de 13 espécies de peixes, duas de camarão e três de molusco (marisco, ostra e sururu), realizada em parceria entre UFPE, Universidade Federal de Pernambuco (UFRPE) e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Apenas duas amostras – dos peixes xaréu e sapuruna – apresentaram nível de toxicidade acima do limite estabelecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A recomendação é de não consumir temporariamente essas duas espécies”, disse. As outras 53 estavam dentro dos padrões de segurança alimentar.

COMO COLABORAR - O Movimento Curupira, que vem realizando ações de limpeza nas praias atingidas, agora virou um projeto de extensão e vai realizar, neste sábado (7), treinamento dos novos voluntários. Membros da comunidade acadêmica da Universidade interessados em participar das ações de limpeza, previstas para os dias 14 e 21, devem ficar ligados no Instagram do grupo.

Já os interessados em doar mantimentos e produtos de limpeza  podem fazê-lo no Centro de Artes e Comunicação (CAC), no Campus Recife, ou na Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), nos três campi (Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão).

 

Data da última modificação: 06/12/2019, 10:53