Voltar

Professores Salett Tauk Santos e Angelo Brás Callou, da UFRPE, lançam livro com mais de 80 pesquisas realizadas em 35 anos de docência

O destaque da edição é a inclusão de um texto inédito de Paulo Freire intitulado “A Educação como Espanto

Com a intenção de reunir os trabalhos científicos produzidos em parceria e cumplicidade amorosa com estudantes, ao longo de 35 anos de atuação acadêmica, os professores da Universidade Federal Rural de Pernambuco Salett Tauk Santos e Angelo Brás Callou lançam o livro “Travessias Acadêmicas das Tecnologias de Comunicação para o Desenvolvimento”, no dia 5 de dezembro, na Biblioteca da UFRPE, às 16h. Em mais de mil páginas, o livro reúne 80 relatos de pesquisa que registram o quanto são plurais e polissêmicos os objetos da Comunicação para o Desenvolvimento, sejam quais forem as metáforas que abrigam a Extensão Rural, a Extensão Pesqueira ou a Comunicação Rural.

A obra compila trabalhos produzidos pelos mestres com 112 autores, nos programas de pós-graduação em Administração Rural e Comunicação Rural, Extensão Rural e Desenvolvimento Local, Tecnologia e Gestão em Educação a Distância e Consumo, Cotidiano e Desenvolvimento Social e no âmbito da graduação das Ciências Agrárias, na UFRPE. O campo teórico dessa polissemia e multidisciplinaridade está ancorado no pensamento filosófico de Paulo Freire. “A matriz paulofreiriana nos permitiu tecer os fios da nossa formação acadêmica em diferentes áreas do conhecimento. São esses fios que estruturam a nossa opção político-pedagógica para formar profissionais comprometidos com a construção de uma sociedade mais justa e humana”, explica Brás Callou.

Segundo a professora Salett, a escolha desse conjunto amplo de artigos se deve à preocupação de dar conta de múltiplos enfoques teórico-metodológicos, para renovar o objeto da Comunicação para o Desenvolvimento. “Construímos passo a passo essa renovação, a partir de temáticas contemporâneas que nos interpelavam ao longo da nossa trajetória acadêmica, cujo ápice foi o nosso doutoramento na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, nos anos 1990”, relata.

EDUCAÇÃO – O destaque da edição é a inclusão de um texto inédito de Paulo Freire intitulado “A Educação como Espanto”, resultado de uma palestra realizada em Santa Maria (RS), em 1982. A intenção é homenagear o mestre e ao mesmo tempo mostrar a atualidade do seu pensamento na Comunicação para o Desenvolvimento contemporâneo. “O ponto de partida da nossa travessia reafirma o aporte teórico freiriano da Extensão como Comunicação e se renova, incorporando teorias de outros campos do conhecimento. Entre elas, desenvolvimento local, culturas tradicionais, novas ruralidades, estudos de mídias impressa, eletrônica e digital, e economia criativa”, detalha Callou.

A obra é dividida em oito partes. A primeira trata sobre Comunicação para o Desenvolvimento na Extensão Rural e na Extensão Pesqueira. Na segunda, há valiosos estudos sobre Pescadores Artesanais - cultura tradicional da maior importância no Brasil. Seguem-se artigos sobre as políticas públicas no campo da Cultura, do ensino da Extensão e de projetos governamentais e metodologias para o desenvolvimento de contextos sociais desfavorecidos. A terceira seção tem como temática as Novas Ruralidades e Economia Criativa. Já a quarta parte é reservada para publicações sobre Culturas Híbridas e Consumo.

À luz da matriz latino-americana dos estudos culturais, que tem em Jesus Martin-Barbero e Guillermo Orozco seus principais ícones, se construíram os artigos da quinta seção do livro intitulada Comunicação e Recepção em Processos de Desenvolvimento. Em seguida, estão os trabalhos voltados para os Múltiplos Usos do Rádio na Era Digital e a sétima parte trata das estratégias de comunicação da mídia impressa e audiovisual na construção do desenvolvimento local. A última parte da coletânea é dedicada à Cibercultura com pesquisas envolvendo a inclusão digital, as apropriações das redes por jovens de contextos populares, os usos das mídias sociais por organizações de assistência técnica e extensão rural, além de proposta metodológica para análise de redes sociais.

Data da última modificação: 22/11/2019, 16:31