Voltar

Evento do UFPE SOS Mar, Movimento Curupira e Departamento de Oceanografia discute qualidade das praias

Será na sexta (22), das 14h às 16h, no auditório do Ceerma

“A praia está realmente limpa? Discussão sobre a qualidade das praias em Pernambuco” é o evento que acontece na sexta-feira (22), das 14h às 16h, no auditório do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma), ao lado do Museu de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A atividade é organizada pelo comitê UFPE SOS Mar, Movimento Curupira  e Departamento de Oceanografia (Docean).

O objetivo do evento, aberto ao público, é relatar e discutir os recentes resultados de análise da qualidade de água das praias afetadas pelo derramamento de petróleo. A professora Eliete Zanardi, do Docean, vai mostrar os resultados detalhados, já divulgados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), da análise de hidrocarbonetos na água do mar em 14 praias, relativos às primeiras coletas, realizadas em outubro.

A professora Monica Costa, também do Docean, vai abordar a questão da balneabilidade, usando como exemplos as praias que receberam a Bandeira Azul, selo de qualidade da água, gestão ambiental, educação ambiental e segurança. Três praias do Nordeste foram contempladas com a bandeira: Ponta de Nossa Senhora do Guadalupe (Salvador/BA), Malhada (Jijoca de Jericoacoara/CE) e Guarajuba (Camaçari/BA).

De acordo com a professora, o objetivo é focar em uma virada qualitativa e buscar estender essa rede, iniciando um grande movimento de requalificação das praias de acordo com os parâmetros da certificação. “O Nordeste conta com quase 1 mil praias, mas para a gente essa bandeira ainda é novidade”, explica, lembrando que há um grupo de especialistas envolvidos para ir além da recuperação.

CAPACITAÇÃO - Após as palestras, haverá uma capacitação para limpeza de praia, que vai além da questão do uso de equipamentos de segurança e será voltada aos universitários como multiplicadores de informações seguras, de forma proativa. “Eles devem passar a melhor informação possível para as comunidades e explicar que todos têm um papel na coleta”, afirma Monica Costa.

A próxima limpeza da praia com apoio de uma equipe da UFPE, no sábado (23), contará com mantas absorventes de óleo. De acordo com a docente, o polímero de que elas são feitas tem afinidade com o óleo e não com a água salgada, o que faz com que o material se agarre na manta e seja retirado com mais facilidade. A praia de destino é definida na manhã da ação de limpeza, de acordo com a necessidade, informada pelo CPRH.

Data da última modificação: 20/11/2019, 15:48