Navegação Navegação

Voltar

Cresce demanda por psicólogo e psiquiatra no Núcleo de Telessaúde da UFPE

Professor e psiquiatra Leonardo Machado alerta para necessidade de atenção mais ampla em momentos como o da pandemia do coronavírus

Encerrados no início da última semana, por conta da flexibilização do isolamento social, os atendimentos da Central de Telemonitoramento Clínico para Enfrentamento ao Coronavírus (Covid-19), uma promoção do Núcleo de Telessaúde (Nutes) da UFPE, contabilizou a ocorrência de aproximadamente 40% das chamadas para casos das áreas de Psiquiatria e Psicologia, mesmo dentro de um universo onde havia demandas de pacientes com indicação de sintomas clínicos da Covid-19.

Segundo o professor e psiquiatra Leonardo Machado, que também atende pela Rede Nutes, essa constatação alerta para a importância de uma atenção mais ampla em momentos como a pandemia do coronavírus. “Estamos vivenciando a quarta onda decorrente da pandemia, que é o impacto que a própria doença da Covid-19 provoca na saúde mental, em decorrência de fatores como a perda de pessoas queridas, o rebaixamento da condição financeira e a crise política, por exemplo”, afirma.

De acordo com Machado, essa fase começa logo depois da primeira onda – “tem um delay” –, e continua depois que as situações extremas como a pandemia e grandes tragédias se resolvem, sendo percebidas mesmo quando aparentemente a normalidade é restabelecida. Essa tendência, explica o professor, está embasada na literatura, que demonstra essa realidade em outros países e em outras situações dramáticas da humanidade.

FASES – “No primeiro momento, os pacientes que nos procuravam estavam bem, mas com medo e precisando garantir as receitas de medicamentos; na segunda fase, começou a aparecer pessoas que nunca precisaram de psiquiatra já apresentando quadros como depressão e transtorno de pânico ou de ansiedade e, então, vieram pessoas que tinham diagnóstico, mas estavam bem e tiveram recaídas, tudo ligado à pandemia. E aí vem a outra fase, que começou de uns 20 dias pra cá, com casos novos e mais graves de depressão, de tentativa ou ideação de suicídio”, relata o docente da UFPE.

E, como reflexo dessa quarta onda, o professor relata que “ex-alunos que hoje estão atuando como médicos nos ligaram dizendo que antes atendiam um caso por mês de tentativa de suicídio em emergências clínicas; porém têm atendido ultimamente 2 a 3 casos em todo plantão, em cidades diferentes, incluindo serviços privados”. Também nesse contexto em que a situação do isolamento social começa a dar sinais de abertura e que se difunde uma aparente volta à normalidade, segundo o professor, começaram a aparecer muitos quadros de Transtornos de Estresse Pós-Traumático (TEPT). É com base nessa vivência que Machado está participando de um estudo multicêntrico que vai comparar a eficácia da Terapia Cognitiva Processual, do Mindfulness e da Psicoterapia Positiva no TEPT.

Data da última modificação: 09/07/2020, 18:28