Voltar

Ciência da Computação tem duas defesas de mestrado profissional

Victor Gonçalves e Paulo Roberto de Souza Mesquita Júnior defendem trabalhos no CIn

O Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) realiza duas defesas de mestrado profissional amanhã (19). O aluno Victor Gonçalves defende o trabalho “PSO: uma ontologia de domínio sobre Servidores Públicos Federais”, orientado pela professora Bernadette Farias Lóscio, às 14h, no anfiteatro do Centro de Informática (CIn). Além da orientadora, compõem a banca examinadora os docentes Frederico Luiz Gonçalves de Freitas (CIn) e Gibeon Soares de Aquino Júnior (UFRN). Confira o resumo 1 abaixo.

Orientado pelo professor Giordano Ribeiro Eulálio Cabral, o aluno Paulo Roberto de Souza Mesquita Júnior apresenta o trabalho “Definição e análise de um modelo de aprendizagem colaborativa em pares suportado por rede social” às 15h, na sala de reunião E401/402. A banca será composta pelos docentes Patricia Cabral de Azevedo Restelli Tedesco (CIn) e Rodrigo Lins Rodrigues (UFRPE), além do orientador. Confira abaixo o resumo 2.

Resumo 1

A publicação na Web de dados do setor público permite uma maior participação da sociedade, possibilitando uma gestão mais eficiente ao reunir esforços externos na busca por soluções aos problemas enfrentados pela administração pública. No Brasil, a publicação de dados governamentais tem sido estimulada por meio da aplicação de instrumentos normativos que visam atingir o compromisso firmado pelo país com a Open Government Partnership (Parceria para Governo Aberto) em 2011. Em avaliação recente apresentada no Índice de Dados Abertos Brasil (ODI), o país encontra-se a frente das demais nações da América Latina, tendo como áreas de destaque o Orçamento Público, Estatísticas Socioeconômicas e Mapas Nacionais. No entanto, dados públicos relacionados a outras áreas de interesse da sociedade necessitam de aprimoramentos para que seu potencial possa ser explorado. A falta da aplicação de padrões na estruturação e publicação desses dados dificulta a análise e consumo dos mesmos pela sociedade, levando o cidadão a recorrer a Lei de Acesso à Informação (LAI). O tema Quadro de Servidores Públicos corresponde a maior demanda encaminhada pelo cidadão às Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) por meio do Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao Cidadão (e-SIC), ainda que muitas dessas informações estejam disponibilizadas em portais públicos do Governo Federal. Neste contexto, a presente pesquisa visa a utilização de uma solução tecnológica baseada em ontologia de modo a mitigar o referido problema. A Public Servant Ontology (PSO) propõe-se a representar de forma estruturada, ao nível semântico, o domínio Servidor Público Federal, incentivando, assim, a utilização e integração dos dados atualmente disponibilizados no Portal da Transparência e o processamento dos mesmos por agentes computacionais. Para o seu desenvolvimento, foram consideradas as boas práticas e padrões estabelecidos pelo W3C e a metodologia de desenvolvimento de ontologias NeOn. Ainda, a avaliação com base Questões de Competência (QC) extraídas de pedidos efetuados no e-SIC revelou que a PSO responde satisfatoriamente os questionamentos relacionados ao contexto modelado. Por fim, como prova de conceito de que a ontologia proposta contribui para o reuso e interoperabilidade dos dados, informações dos servidores públicos dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia foram disponibilizadas de forma estruturada e facilmente consumidas por uma aplicação client-side de busca facetada, mas também foi realizada a integração dos dados do orçamento público federal com os dados do quadro de servidores de modo a se obter um maior detalhamento das despesas realizadas pelas instituições.

Resumo 2

Ao longo dos anos o conceito de aprendizagem vem se modificando e as formas de aprender vêm se diversificando e se adequando a realidade com o passar dos tempos. Cada indivíduo tem uma forma particular de aprender na qual encontra mais facilidade de construir seu conhecimento. Aprender em conjunto com outras pessoas, construindo conhecimento e debatendo ideias, é uma forma natural de aprendizado. A modernidade do mundo atual tem explorado o potencial dessa interação para o aprendizado através da tecnologia. Este trabalho apresenta um modelo conceitual de um ambiente de aprendizagem colaborativa em pares, suportado por rede social, trabalhando a interação face a face e on-line. Nele os estudantes são encorajados a aprender colaborativamente através de uma rede social simplificada, com foco no aluno e no aprendizado em pares, utilizando ferramentas e abordagens que estimulam a interação, comunicação e colaboração. No modelo, estudantes têm a opção de assumir dois tipos de papéis: tutor e educando. No instante em que ambos criam uma conexão entre si, eles podem se ajudar mutuamente através da plataforma de rede social proposta. Um protótipo foi desenvolvido para analisar como o modelo conceitual seria percebido em um ambiente real através de um experimento com uma turma do curso Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas do IFRR. No experimento, a turma foi dividida em dois grupos: grupo experimental e grupo de controle, onde o grupo experimental utilizou o protótipo. Nesse contexto, a experiência do aprendizado em pares através do modelo foi considerada positiva pelos participantes que utilizaram o protótipo, os quais relataram um aumento do seu interesse pelo conteúdo estudado, tanto para ensinar quanto para aprender. Os alunos que fizeram uso do modelo tiveram uma percepção mais positiva dos seus resultados finais, onde 60% deles classificaram como totalmente positivo. Em contrapartida a maioria de 36,4% dos alunos que não utilizaram o sistema teve uma percepção totalmente negativa dos seus resultados ao fim do experimento.

 

 

Data da última modificação: 18/12/2017, 14:05