Voltar

Projeto Vitória II

Por Gilson Edmar, vice-reitor da UFPE
gilson.edmar@ufpe.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

A decisão de levar a UFPE para o interior tem sido muito acertada. Como dissemos anteriormente, este sentimento tinha algum tempo encontrado ressonância na universidade, quando da implantação do Projeto Vitória no fim da década de 70 e que existiu até o início dos anos 80, extinto por motivação política. Hoje, podemos dizer que a versão atualizada daquele projeto está concretizada no Centro Acadêmico de Vitória da UFPE (CAV-UFPE). São cinco cursos de graduação (enfermagem, nutrição, ciências biológicas e os dois cursos de educação física - bacharelado e licenciatura), o mestrado em saúde humana e da natureza, três especializações (residência multiprofissional de Vitória de Santo Antão, de Garanhuns e Uni profissional do Barão de Lucena). Além destes, o CAV-UFPE está com diversos projetos de pesquisa e extensão, oferecendo serviços diversos à população de Vitória. A graduação do CAV já nasceu grande, pois na última avaliação do MEC os cursos de nutrição e de ciências biológicas obtiveram pontuação quatro e o de enfermagem, três (quando o máximo é cinco). O de educação física ainda não foi avaliado, por não ter nenhuma turma concluído o curso, mas pelo nível extraordinário de seu corpo docente e discente, com certeza, vai trilhar caminho semelhante. O CAV-UFPE vem desempenhando muito bem o seu papel para o qual foi destinado na interiorização, pois atua para além de Vitória , como é o caso da residência multiprofissional em Garanhuns, contribuindo, inclusive, com a implantação do curso de medicina da UPE, tendo em vista que este centro assumiu a tarefa de criar condições no sentido de que o Hospital D. Moura, daquela cidade, seja certificado como hospital-escola.

Agora o desafio é transformar o Hospital João Murilo, em Vitória de Santo Antão, em hospital-escola, lócus privilegiado para a formação dos alunos de graduação por apresentar as características ideais no sentido da formação de profissionais com perfil na realidade do interior de Pernambuco. Para tanto, os alunos, os professores e a atual gestão daquele Hospital estão articulados na clínica-escola e no projeto de revisão e atualização do prontuário do paciente. Este projeto, já em processo de implantação em Garanhuns, onde tem se mostrado adequado para agregar os diversos saberes e práticas, é um passo importante para a adequação destas unidades em um hospital de ensino. Agora faz parte da estratégia, em Vitória, tornar o João Murilo um hospital-escola e assim resgatar o Projeto Vitória, que foi inicialmente sonhado por Guilherme Abath e Amauri Coutinho, entre outros idealizadores e pioneiros da interiorização da UFPE. Todos fizeram daquele hospital um centro de referência na formação dos profissionais de saúde à época, e hoje reclamado pelas novas gerações. Estas medidas complementares necessárias à consolidação do projeto virão trazer para o CAV-UFPE as condições para desenvolver todo o seu potencial acadêmico, resultando um enorme benefício à saúde da população do município e da região. Essa é a sua missão como órgão formador, socialmente comprometido.

Publicado na edição do dia 29 de setembro de 2011 do Jornal do Commercio
Data da última modificação: 27/10/2016, 14:22