Agosto 2005

Servidores da UFPE ganham isenção da taxa do vestibular


PDF Imprimir E-mail
A iniciativa, que tem o patrocínio de um banco privado, faz parte de uma política da administração central de benefícios aos funcionários da Universidade

Diogo Max
Hálamo Cavalcante


Funcionários da UFPE e seus dependentes obtiveram a isenção de pagamento da taxa de inscrição para o vestibular 2006 das federais. A iniciativa, já em seus segundo ano, faz parte de uma política da administração central de benefícios ao servidor. A Covest obteve o patrocínio do Banco Bradesco para custear essas isenções, também estendidas aos servidores da UFRPE. 

Na UFPE, foram disponibilizadas 190 vagas, sendo 130 para servidores e 60 para seus dependentes. “Houve uma mobilização conjunta para se conseguir um patrocínio que garantisse aos servidores de menor remuneração uma facilidade no processo de inscrição. É um estímulo para que os funcionários possam fazer suas graduações na instituição em que trabalham. Assim, estamos atuando em duas frentes: junto a população de poucos recursos e aos funcionários de menor capacitação profissional”, explica a presidente da Covest, Ana Cabral. 

De 312 inscrições, 117 funcionários obtiveram a chance de fazer o vestibular de graça. As 13 vagas não-preenchidas pelos servidores foram disponibilizadas para os dependentes. Com isso, 245 dependentes disputaram as 73 vagas restantes. 

Para a pró-reitora da Pró-Reitora de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida (Progepe), Ana Arcoverde, a importância desse benefício é garantir o acesso dos servidores à Universidade, através da inscrição ao vestibular. “Lembrando ainda que também já existe o programa para isenção da taxa do vestibular para alunos carentes, coordenado pela Covest. Então, mais que isenção, é a democratização do acesso à educação”.

O encadernador da Editora Universitária, Adilson Sérgio da Silva, sentiu-se gratificado com a iniciativa. “Fiquei feliz e, se passar nos exames, vou fazer o curso de Agronomia. Isso vai mudar minha vida”, destacou. 

Para o dependente de um técnico administrativo, o estudante Carlos Eduardo Figueiredo Costa, que pretende fazer o curso de Engenharia Biomédica, o benefício veio na hora certa. “O funcionário público está com problemas financeiros. Então, eu vi que foi uma luz no fim do túnel”, afirma. Foram convidados para integrar a comissão de análise das inscrições representantes da Progepe e dos sindicatos.

Mais de 10 mil estudantes são beneficiados

Mais de dez mil pessoas conseguiram isenções, entre totais e parciais, da taxa de inscrições para o vestibular 2006. A Covest praticamente manteve a quantidade de isentos em relação ao ano passado. Enquanto a comissão beneficiou 10.485 feras em 2004, o número fechou em 10.316 este ano. Durante o período de solicitação do benefício (27 e 28 de agosto), 20.517 pessoas compareceram aos postos da Covest montados no Recife e em Caruaru. 

“Não definimos uma quantidade máxima de isenções. Conforme analisamos a documentação dos candidatos, e eles vão se encaixando nos parâmetros, vamos concedendo os benefícios”, explica a presidente da Covest, Ana Cabral. A distribuição da isenção da taxa do vestibular ficou da seguinte forma: 3.031 isenções totais; 3.297 isenções de 50% do valor da taxa; e 3.988 de 30%. A política de inclusão da Covest também beneficia os alunos da rede pública de ensino que fazem os cursos pré-acadêmicos vinculados à UFPE”. Este ano, 486 estudantes receberam a isenção total. As provas da primeira fase ocorrem nos dias 27 e 28 de novembro e a segunda etapa, nos dias 18 e 19 de dezembro.

Compartilhar

 

112 visitantes online | 1313 visualizações

[ voltar ]